Mais prestação de contas e prosperidade com empresas abertas

A maioria dos ativos das empresas abertas modernas é constituída de ativos intelectuais, todos não físicos, não contabilizados e não divulgados

Charles Holland
22/Nov/2023
Contador, empresário, diretor da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), conselheiro da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (ANEFAC)
  • btn-whatsapp

As grandes responsáveis pelo excelente nível de qualidade e transparência da prestação de contas no Brasil são as empresas abertas negociadas nas bolsas de valores. Todo o progresso no País foi sempre liderado por elas.   Todas as grandes empresas abertas brasileiras têm suas ações negociadas nas principais bolsas de valores, graças à qualidade e confiança da prestação de contas delas.

O que induz investimentos, captação de recursos e criação de empregos bem remunerados no Brasil?

É a confiança no ambiente de negócios do País, priorização da educação, regras estáveis, planejamento estratégicos de governos e aderência na execução, eficiência e vontade de crescer.  Tributação e burocracia precisam ser baixas, para liberar recursos à sociedade para que as pessoas façam os investimentos como nos países mais desenvolvidos, e igualmente no passado, quando o País cresceu bem.

Precisamos voltar a fazer o que fazíamos bem no passado.

Tivemos crescimento admirável de mais de 10% anuais, de 1955 a 1960, no regime de democracia plena, e de 1964 a 1985, no regime autoritário rígido até 1975.

Desde 1975 o governo federal brasileiro não faz planejamento de gestão. Um país para crescer precisa ter planos e metas estratégicas ousadas, discutidas e aprovadas pela sociedade.

Não adianta ser um país rico em termos de recursos naturais se não definirmos o que queremos ser e para onde queremos ir. Vide as histórias de sucesso de Israel, Singapura, todos os tigres asiáticos, e outros.

O que as governanças destes países fazem diferente? Priorizam e valorizam educação de qualidade para incrementar a empregabilidade para o trabalho, produção e inteligência da sua sociedade. Fazem planejamento estratégico de longo prazo, obtêm apoios e aprovações necessárias, e cumprem o planejamento. Há várias décadas no Brasil que os candidatos a Presidente negligenciam planejamento, e não divulgam os planos detalhados de trabalho no executivo federal.  É um acinte, responsável pela pobreza do Brasil.

Nós, eleitores, precisamos ser mais exigentes com a qualidade, capacidade e integridade dos políticos candidatos, e intolerantes com os despreparados.

Abaixo, transcrevo uma análise do valor das empresas abertas por país, participação no produto interno bruto e número de empresas listadas, informações cuja fonte se encontra neste link: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_stock_market_capitalization

PIB Produto interno bruto.

I) Em 2020, as 500 mais valiosas empresas segundo índice 500 S&P valiam US$ 33,388 trilhões, sendo que US$ 30,050 trilhões eram de ativos intelectuais (inteligência), nada contabilizados. O restante era de ativos tangíveis líquidos – 10%, contabilizados. O que os EUA fazem bem é investir e valorizar os seus ativos intelectuais. Ativos intelectuais (de inteligência) existem e têm valor. Não podem ser contabilizados, pois são ariscos. Deveriam ser divulgados, mas até a presente data a profissão contábil não reconhece a existência deles. São os responsáveis por fazer acontecer os resultados e fluxos de caixa de todas as empresas e entidades. O resto das 3.760 empresas listadas nos EUA valiam US$ 11,426 trilhões, a maioria de ativos intelectuais, não contabilizados.

II) A China começou a adotar partidas dobradas no início de 1980. A sua bolsa de valores foi reinstituída em 1990. Em pouco tempo, passou do nada, para ser 2º do mundo.

III) O Brasil, com boas condições no mercado de ações listadas, passou de 6ª maior do mundo em 2010, para 19º. Temos diminuído continuamente o número de empresas listadas em valor e em quantidade, em relação ao resto do mundo. O tamanho do nosso mercado de capitais de renda fixa e variável é negligenciado, idem em relação à nossa Comissão de Valores Mobiliários, hoje sem condições por restrições financeiras impostas pelo governo, para atuar como indutor de investimento, de renda variável e fixa. Há tempos que não valorizamos o nosso mercado de capitais.

Em 2020, as 43.248 empresas listadas valiam U$$ 93.686.226 mil, 134,7% do valor mundial dos produtos internos brutos (PIBs) de todos os países do mundo. E continuam crescendo.

O que são ativos intelectuais?

A maioria dos ativos das empresas abertas modernas é constituída de ativos intelectuais, todos não físicos, não contabilizados e não divulgados.  São os responsáveis por fazer acontecer os resultados e fluxos de caixa de todas as empresas e entidades.

Ativos tangíveis (físicos) próprios ou arrendados são todos contabilizados e divulgados. São também os meios usados para produzir resultados usando ativos intelectuais. São movimentados pela inteligência, numa das muitas formas de ativos inteligentes (responsáveis por fazer acontecer os resultados e fluxos de caixa das empresas e entidades).  

Ativos intelectuais (de inteligência) existem e têm valor. Não podem ser contabilizados. São todos ariscos em termos de valor. Se materiais, deveriam ser explicados e divulgados.

O mundo mudou drasticamente após a introdução da internet, em 1992, consolidada em 1995, usando o World Wide Web (www). Com uso intenso do www, criou-se os ativos intelectuais, pouco relevantes antes de 1995. Os órgãos responsáveis pelas orientações contábeis no mundo, IASB, de abrangência mundial e a FASB, dos EUA, ainda não reconheceram a existência de ativos intelectuais. Continuam denominando-os de ativos intangíveis, somente reconhecidos na eventual compra da empresa. Os ativos intangíveis (ou ativos intelectuais) desenvolvidos internamente não são reconhecidos e reportados. Nunca podem ser contabilizados.

Cuidados na prestação de contas de empresas abertas.

O valor de mercado das empresas e seus resultados precisam fazer sentido e ser explicados para os interessados, principalmente investidores. Por enquanto há deficiência de pleitos de melhorias na prestação de contas das companhias abertas.

Em quase todas as empresas abertas, competitivas e bem administradas, o principal componente que fundamenta o valor das empresas são os ativos intelectuais. Exemplos: os ativos intelectuais da Apple e Microsoft, não contabilizados em 1 de novembro de 2023, representavam 98,2% e 95% do valor de mercado delas, respectivamente. Sem explicações para os interessados nestas empresas. Os ativos intelectuais representam a maior parte do valor das empresas abertas no mundo.

No Brasil há várias empresas abertas também em que os ativos intelectuais, sem explicações apropriadas, representam até 90% do valor dessas empresas.

Mesmo assim, não estão incluídos no escopo de trabalhos de prestação de contas das empresas abertas indicando quais são, os cuidados da preservação e de valorização dos principais ativos intelectuais.

Por quê? É novo, exige no início muito envolvimento das governanças das empresas, julgamento profissional, melhor entendimento e acompanhamento dos negócios da empresa. Significa mudanças, saírem de suas zonas de conforto, mais educação de negócios.

Os grandes desafios para as empresas abertas

É necessário introduzir prestação de contas mais objetivas às empresas abertas, incrementando divulgação de informações relevantes e importantes sobre os acionadores de valor, e comentando a razoabilidade de seus resultados em relação ao valor de mercado, atual, passado e perspectivas futuras. Poucos fazem isto, optando em infestar os relatórios com muitos dados e informações irrelevantes.

A rentabilidade das empresas abertas sempre precisa fazer sentido e ser explicada para os usuários, em relação ao seu valor de mercado.

Prestar contas como fazemos atualmente, priorizando os ativos tangíveis, ignorando os acionadores de valores que fazem acontecer os resultados das empresas e a razoabilidade dos seus resultados em relação ao valor de mercado, não atende às necessidades dos usuários das informações financeiras.

Conclusão  

Temos muito trabalho pela frente para fazer crescer bem a quantidade de empresas abertas, melhorar a qualidade e atuação de nossos governos, e fazer as empresas atenderem às novas necessidades dos usuários de informações financeiras, principalmente de capital aberto. Isto exige mais atuação e atualizações técnicas dos profissionais para as novas necessidades do mercado acionário por parte de todos envolvidos, e atuação mais firme e dinâmica dos reguladores, profissionais e do mercado de capitais.

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio

Matérias relacionadas

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas