Setor de franquias cresce 19,1% no primeiro trimestre, informa ABF

O faturamento global dessas empresas passou de R$ 50,8 bilhões, nos primeiro três meses de 2023, para R$ 60,5 bilhões em igual período deste ano

Redação DC
05/Jun/2024
  • btn-whatsapp
Setor de franquias cresce 19,1% no primeiro trimestre, informa ABF

O mercado de franquias acelerou no primeiro trimestre de 2024, registrando um crescimento nominal de 19,1% na comparação com o mesmo período de 2023. O faturamento geral do setor avançou de R$ 50,854 bilhões para R$ 60,560 bilhões. Os dados são da Pesquisa Trimestral de Desempenho do setor realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

O estudo aponta que no acumulado de doze meses o setor cresceu 14,3%, com faturamento subindo de R$ 218,962 bilhões para R$ 250,367 bilhões. Esse resultado foi alavancado por fatores sazonais e o forte desempenho dos segmentos de Alimentação (tanto Comércio e Distribuição, quanto Food Service) e Serviços e Outros Negócios.

Entre os fatores sazonais, a ABF destaca o dia a mais em fevereiro e, principalmente, a Páscoa ter caído este ano no primeiro trimestre, o que, associado a maior demanda por chocolates finos, favoreceu as franquias de chocolate.

O cenário macroeconômico também foi importante para o desempenho do setor. De acordo com a ABF, a elevada taxa de ocupação, o PIB no primeiro trimestre, a queda da taxa Selic e a inflação mais controlada estimularam uma maior disposição da população que aqueceu o consumo.

OPERAÇÕES

De acordo com o levantamento da ABF, as redes de franquias mantiveram um bom ritmo de expansão no período pesquisado. Os dados apontam que foram abertas 4,3% mais operações e encerradas 1,9%, resultando num saldo positivo de 2,4%.

Em relação aos repasses, a estabilidade se manteve, como na pesquisa do mesmo trimestre no ano passado, cujo índice ficou em 0,8% contra 1,0% em 2023 (dados referentes às marcas respondentes). A variação no primeiro trimestre de 2024 representou um acréscimo de 5.733 operações de franchising no País ante o mesmo período do ano passado, totalizando 190.144 operações (dado do mercado todo).

Em relação aos empregos diretos, o setor totalizou 1.658.000, ou 4,9% a mais do que no mesmo período do ano anterior.

SEGMENTOS

O estudo mostrou avanço do faturamento em todos os segmentos listados pela ABF. Alimentação Comércio e Distribuição teve o crescimento de receita mais expressivo, 43,9%, em razão especialmente do ótimo desempenho das chocolaterias na Páscoa. 

Alimentação Food Service também se destacou, com um crescimento de 26,6%. Serviços e Outros Negócios registrou alta de 25,3% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Na sequência vieram os segmentos de Entretenimento e Laser (19,6%), Casa e Construção (15,8%) e Saúde Beleza e Bem-Estar (14,7%).

FORMATOS

O estudo da ABF apontou, ainda, que continua o predomínio das operações de franquias em ruas, que passaram de 52,0% para 54,2%. As operações em shopping centers também se mantiveram na segunda posição, com uma redução de 22,2% para 19,8% (embora em termos absolutos tenha crescido).

O item “Outros” – que envolve negócios como mercados autônomos, operações em prédios comerciais, postos de combustível (lojas de conveniência), condomínios residenciais, store in store, hospitais e clubes esportivos – despontaram no trimestre analisado em terceiro lugar, com uma participação que saltou de 5,2% para 11,7%.

"O crescimento de 'Outros' está associado ao crescimento de redes de conveniência, mini-mercado autônomo, cafeterias, modelos compactos e microfranquias de forma geral, apontando mais uma vez a capacidade de reinvenção do setor não apenas em termos de formato, mas na disposição de desenvolver operações que vão aonde o consumidor está”, explica Tom Moreira Leite, presidente da ABF.

 

IMAGEM: divulgação

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

Conheça os projetos que buscam requalificar o Centro de SP

Conheça os projetos que buscam requalificar o Centro de SP

Os impactos da IA no mercado de trabalho

Confira como foi a festa dos 100 anos do DC