Confiança do consumidor paulista recua 2,8% em março, diz ACSP

O indicador passou a registrar 104 pontos, ainda em patamar considerado positivo

Redação DC
09/Abr/2024
  • btn-whatsapp
Confiança do consumidor paulista recua 2,8% em março, diz ACSP

O Índice de Confiança do Consumidor Paulista (ICCP) caiu 2,8% em março, na comparação com fevereiro, regredindo aos 104 pontos. O indicador, elaborado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), registrou a quarta queda mensal seguida. 

Em relação a março de 2023, a queda é de 4,6%, a segunda retração interanual consecutiva. Aos 104 pontos, o ICCP ainda se mantém em patamar considerado positivo - pontuações acima de 100. 

"Essa diminuição se explica pela deterioração na percepção da situação financeira atual e, com mais intensidade, pela piora das expectativas em relação ao emprego e à renda", diz Ulisses Ruiz de Gamboa, economista da ACSP.

Entre as classes socioeconômicas, os dados revelam um resultado misto. Houve queda na confiança das classes C e D/E, enquanto entre as famílias das classes A/B houve aumento. 

A ACSP informa que a redução da confiança afeta a disposição dos consumidores para adquirir itens de maior valor e realizar investimentos. 

CIDADE DE SÃO PAULO

O Índice de Confiança do Consumidor da Cidade de São Paulo (ICCSP) permaneceu estável em março, registrando 97 pontos, mas apresentou queda de 4,0% na comparação com igual mês do ano anterior. Foi o terceiro declínio consecutivo em termos interanuais, mantendo o indicador no campo pessimista, ou seja, abaixo dos 100 pontos.

Segundo o Ruiz de Gamboa, a tendência negativa dos indicadores de confiança reflete “o processo de desaceleração da economia, iniciado no ano passado, num contexto de aumento do desemprego, elevado endividamento das famílias e de juros ainda muito altos”.

 

IMAGEM: Milton Mansilha/DC

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas