BNDES aprova financiamento de R$ 141,5 milhões à farmacêutica Althaia

Os recursos integram o plano de inovação da indústria e serão usados na produção de dois medicamentos inéditos e 16 genéricos

Estadão Conteúdo
21/Mar/2024
  • btn-whatsapp

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta quinta-feira, 21/3, ter aprovado um financiamento no valor de R$ 141,5 milhões à indústria farmacêutica Althaia S.A. Os recursos serão destinados a investimentos em pesquisa e inovação para o desenvolvimento de novos medicamentos a serem produzidos e comercializados no País.

A concessão do financiamento se deu no âmbito do programa BNDES Mais Inovação. Os recursos integram o plano de inovação da indústria farmacêutica em Atibaia, São Paulo, no período de 2024 a 2027. Segundo o banco de fomento, a farmacêutica produzirá dois medicamentos inéditos e 16 genéricos com os recursos.

"Dentro do grupo de produtos a serem desenvolvidos, a empresa contempla medicamentos inovadores, ou seja, produtos que ainda não existem no mercado brasileiro e que serão importantes para facilitar o acesso e aderência ao tratamento de algumas doenças crônicas", afirmou o banco de fomento.

"A Althaia investirá também no desenvolvimento de 16 medicamentos genéricos, todos inéditos no país, para cuidado de pacientes de diferentes classes terapêuticas (antipsicóticos, antidepressivos, analgésicos e antivirais, dentre outras)."

O BNDES lembrou ainda ter aprovado neste ano um financiamento de R$ 70 milhões para a Althaia construir um novo centro de pesquisa, desenvolvimento e inovação em Atibaia. Os investimentos integram o plano de governo Nova Indústria Brasil, de promoção do Complexo Econômico e Industrial da Saúde, que busca fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) e ampliar acesso à saúde, justificou o banco.

 

IMAGEM: divulgação

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas