Apple Pay terá vendas parceladas e os bancos não estão achando ruim

Novo recurso permitirá aos bancos oferecerem compre agora e pague depois parcelado por meio de seus cartões carregados nas carteiras Apple Pay dos usuários

Estadão Conteúdo
17/Jun/2024
  • btn-whatsapp

A Apple às vezes é chamada de perturbadora dos bancos. Mas as relações na tecnologia financeira são muito mais complicadas do que isso.

Os anúncios da mais recente vitrine de produtos da empresa de tecnologia incluíram melhorias no Apple Pay, a carteira digital cujo tamanho e estatura expandiram rapidamente nos últimos anos. Eles incluíram um recurso que permitirá aos bancos oferecer compre agora e pague depois parcelado por meio de seus cartões carregados nas carteiras Apple Pay dos usuários. Nos EUA, os emissores Citigroup, Synchrony Financial e Apple Pay que usam Fiserv, um fornecedor de software para muitos bancos, farão parte do lançamento inicial, disse a Apple.

Uma das ameaças aos negócios de cartão de crédito dos bancos são as opções compre agora e pague depois oferecidas por outros credores, incluindo a própria Apple. Portanto, para os bancos, é uma vitória poder oferecer aos clientes a opção de converter uma compra com cartão em parcelamento no momento da compra.

A Apple também está introduzindo a capacidade de pagar uma compra com recompensas de cartão, agregando muito mais valor a esses pontos e dando aos bancos outra oportunidade de ganhar uma transação. Os emissores da Discover Financial Services, Synchrony e Fiserv serão os participantes iniciais, disse a Apple.

Para expandir ainda mais o alcance do Apple Pay, a Apple também permitirá pagamentos através de navegadores de terceiros com um código que pode ser escaneado com um telefone - o que significa que um cartão na carteira digital do iPhone de um usuário também pode efetivamente fazer pagamentos na web.

Tudo isto continua a levar o cartão de crédito - o produto básico dos bancos no varejo, que gera taxas de transação e juros sobre saldos rotativos - a mais formas de venda no varejo no comércio eletrônico. Isso ajuda os bancos a manter o crescimento dos gastos dos clientes e a competir com tipos de pagamento iniciantes.

Claro, há um preço para coisas assim. O Wall Street Journal informou que os bancos nos EUA concordaram em pagar à Apple 0,15% de uma compra feita com cartão de crédito via Apple Pay. E não monetariamente, dá à Apple um grande lugar à mesa com os clientes e suas vidas financeiras.

É assim que as coisas acontecem no mundo das fintech. Poucos desenvolvimentos são uma vitória ou derrota direta para jogadores tradicionais ou participantes mais recentes. A Apple e os bancos poderiam seguir caminhos separados. Mas então a Apple perderia muitas transações e os bancos lutariam para levar as pessoas a carteiras amigáveis.

Os bancos menores, em particular, provavelmente valorizam a capacidade de seus cartões estarem no mesmo campo de jogo que os cartões dos grandes bancos no Apple Pay. Os bancos menores estão frequentemente em desvantagem tecnológica em relação aos seus pares gigantes.

Será interessante ver como os consumidores classificam essas opções. A Apple também continuará a ter sua própria opção de parcelamento Apple Pay Later e anunciou que os usuários dos EUA poderão solicitar empréstimos por meio do compre agora e pague depois quando pagarem com Apple Pay.•

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

Conheça os projetos que buscam requalificar o Centro de SP

Conheça os projetos que buscam requalificar o Centro de SP

Os impactos da IA no mercado de trabalho

Confira como foi a festa dos 100 anos do DC