Negócios

Vendas crescem em lojas de departamentos e revendas de veículos


Pode ter contribuído para o resultado a maior procura do consumidor por carros usados, uma vez que a crise freou a venda dos novos


  Por Redação DC 31 de Março de 2017 às 10:55

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Em janeiro, dois segmentos do varejo paulista obtiveram crescimento de vendas. É o que revela o Boletim ACVarejo, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Um é o de lojas de departamento, eletrodomésticos e eletroeletrônicos – elas apresentaram crescimento de 5,7% sobre janeiro do ano passado.

A base fraca de comparação levou o segmento a ficar no azul, visto que em janeiro de 2016 a retração foi intensa (-25,7%).

Outros fatores que puxaram a alta foram as liquidações e o bom desempenho dos eletroportáteis.

“Esses itens têm preços mais acessíveis do que eletrônicos, fogão e geladeira, que são mais caros e dependentes de crédito”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

O outro segmento com saldo positivo é o de concessionárias de veículos. Após dois anos de fortes retrações mês a mês, as vendas aumentaram 1,6% em janeiro na comparação anual, por conta da base fraca de comparação, já que em janeiro passado o recuo do setor foi de 25,6%.

Pode ter contribuído para o resultado a maior procura do consumidor por carros usados, uma vez que a crise freou a venda dos novos.

ESTADO

Juntos, todos os segmentos do varejo no Estado de São Paulo acumularam queda de 6,7% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2016.

“O resultado é reflexo do desemprego elevado, da renda em queda e da menor disponibilidade de crédito. Embora ainda sigam refletindo a intensidade da crise econômica, os números sugerem tendência de atenuação das retrações”, afirma Burti.

No período acumulado de 12 meses (janeiro de 2016 a janeiro de 2017), a retração das vendas do varejo paulista foi de 5% sobre igual período anterior.

Destaque para autopeças e acessórios, setor que mostrou elevação de 4,5% na quantidade vendida, reforçando a preferência do consumidor por fazer manutenção do automóvel, inclusive do veículo usado recém-adquirido.

POR REGIÕES

Em janeiro, a única região paulista que não ficou no vermelho foi Araraquara, com ligeiro aumento de 0,1% frente a janeiro do ano passado. As menores quedas foram no Vale do Paraíba (-1,4%) e na região de Jundiaí (-1,5%). Já as regiões de Marília (-11,3%) e São José do Rio Preto (-10,5%) apresentaram as maiores perdas na mesma base de comparação.

A pesquisa ACVarejo é elaborada mensalmente pelo Instituto de Economia da ACSP com informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

Os dados se referem ao varejo ampliado e incluem nove atividades: autopeças e acessórios; concessionárias de veículos; farmácias e perfumarias; lojas de departamentos, eletrodomésticos e eletroeletrônicos; lojas de material de construção; lojas de móveis e decorações; lojas de vestuários, tecidos e calçados; outros tipos de comércio varejista; supermercados.


CLIQUE AQUI PARA LER NA ÍNTEGRA O BOLETIM AC VAREJO






Publicidade






Publicidade









Publicidade