São Paulo, 09 de Dezembro de 2016

/ Vida e Estilo

"Continue faminto, continue tolo"
Imprimir

Há exatos 10 anos, Steve Jobs, então CEO da Apple, pronunciava um discurso emocionante e motivador, que se tornou um clássico, para uma turma de formandos da Universidade de Stanford

Nos 22 minutos de pronunciamento, o fundador de uma das empresas mais lucrativas do mundo pediu que os estudantes nunca perdessem a curiosidade e a ambição de mudar o mundo para melhor, usando a célebre frase "stay hungry, stay foolish" ("continue faminto, continue tolo") como conclusão.

Segundo Jobs, a expressão vem do "The Whole Earth Catalog", catálogo criado no final da década de 1960 e que era, para ele, "o Google em formato de papel".

O empresário contou que, na última edição do livro, o seu autor, Stewart Brand, escreveu a frase como despedida, e ela imediatamente passou a ser um objetivo pessoal. "Eu sempre desejei isso [a citação] para mim. E agora, eu a desejo para vocês", disse o norte-americano aos formandos.

O executivo também relatou aos presentes três histórias pessoais que o marcaram profundamente. A primeira dizia respeito a ele ter largado a faculdade e, graças a isso, ter conseguido "ligar os pontos" para o sucesso. A segunda era sobre como o ex-criador da Apple não desanimou ao ser demitido da sua própria empresa, se reintegrando a ela após ter criado outras duas companhias de sucesso (Pixar e NeXT).

Já a terceira falava sobre a morte e de como ele recebeu o primeiro diagnóstico de câncer no pâncreas.
Esse discurso, realizado em 12 de junho de 2005, continua até hoje a inspirar jovens que estão ingressando no mercado de trabalho e querem tornar o mundo um lugar melhor para se viver fazendo o que gostam. 



Ao tomar posse para o segundo mandato, presidente transmitiu a imagem irrealista de que os poucos problemas estão sendo resolvidos

comentários

5 lições que Steve Jobs aprendeu com o mestre cubista Pablo Picasso

comentários