São Paulo, 23 de Julho de 2017

/ Tecnologia

Aplicativos descobrem clientes onde você menos espera
Imprimir

A geolocalização digital, capaz de expandir suas vendas, agora também é acessível a pequenas e médias empresas

A empreendedora paulistana Juliana dos Santos é dona do salão de cabeleireiro Yslana. O centro de beleza oferece serviços de corte, manicure, tratamentos capilar e limpeza de pele, entre outros, para o público feminino. 

Atualmente, o salão possui seis funcionários. Mas o time ainda não está completo. Devido o aumento da demanda, em breve, mais uma esteticista e um cabeleireiro serão contratados

“Atendemos cerca de 2.000 clientes por mês”, afirma Juliana. “Esperamos crescer 30% em 2017”.

JULIANA, DO SALÃO YSLANA: 70% DOS CLIENTES AGENDAM SERVIÇOS POR MEIO DE APLICATIVO

Entre os clientes do salão, mais de dois terços não agendam horário por telefone. Cerca de 70% dos consumidores marcam horário pela plataforma Vaniday, que, por meio de geolocalização, funciona como um buscador de serviços de beleza e bem-estar.

Cerca de 2 mil estabelecimentos participam da plataforma, que soma mais de 50 mil usuários cadastrados. Desses, cinco mil realizam compras todo mês. 

LEIA MAIS: Entregue o que consumidor deseja no momento mais oportuno

Agilidade é uma das vantagens para o consumidor na busca de estabelecimentos por nome, categoria, região, preço e serviços oferecidos.

Também é possível ver avaliações do estabelecimento feitas por outros usuários. 

O cliente pode pagar pelo serviço na plataforma, via cartão de crédito, ou em dinheiro, direto no salão. 

Para o estabelecimento, a vantagem é aumentar a sua área de abrangência de atendimento e receber mais clientes do que obteria com entrega de folhetos, anúncios na internet ou divulgação boca a boca.

A cada novo cliente, o estabelecimento remunera a Vaniday com uma taxa de 30% sobre o valor do serviço. A partir da segunda compra, a comissão cai para 10%. 

SOARES, DA VANIDAY: DIGITALIZAÇÃO DO MERCADO DE BELEZA

O uso de tecnologia de geolocalização (detectar objetos e pessoas por meio de um sistema de coordenadas geográficas) ganhou popularidade no comércio e serviços com a disseminação dos smartphones, que serve como dispositivo de acesso aos aplicativos, ao mesmo tempo em que é rastreado pela tecnologia.   

Nos últimos anos, ferramentas baseadas na tecnologia se tornaram acessíveis para pequenas e médias empresas. 

“A Vaniday surgiu para digitalizar o mercado de beleza, em que muitos empreendedores não tem conhecimento em gestão e ainda usam caderneta para realizar o agendamento de clientes”, afirma Cristiano Soares, fundador da Vaniday.

DELIVERY NO SUPERMERCADO

Outra plataforma que utiliza recursos de geolocalização é o Supermercado Now, que permite ao consumidor ter acesso a mercados próximos a sua casa, realizar compras e receber os produtos em casa em duas horas (ou programar a entrega para até quatro dias). 

A entrega é feita por um profissional autônomo, que recebe a demanda de compra por um aplicativo, faz a retirada dos itens no mercado e entrega os produtos na residência do consumidor. 

ZOLET, DO SUPERMERCADO NOW: 80% DO SEGMENTO É COMPOSTO POR PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

A cada pedido, o profissional ganha R$ 17,50 (pagos pelo consumidor), além de uma bonificação de R$ 5,00, pago pela Supermercado Now. Hoje, a plataforma conta com 30 entregadores – há mais de 400 numa fila de espera. 

O Supermercado Now pode ser uma alternativa para um problema do varejo: reduzir custo e dar agilidade a um sistema de entregas sem ter que criar uma estrutura própria de e-commerce

Há pouco mais de um mês, o mercado Santa Gemma, localizado na zona sul paulistana, passou a utilizar a plataforma.

“Realizamos entregas para bairros que não atingíamos, como Moema, Jardins e Paraíso”, afirma Cristiano Murat, diretor da Santa Gema. “Essas regiões possuem consumidores com alto poder aquisitivo, que compra itens de alto valor agregado.” 

LEIA TAMBÉM: “Micro e pequeno comércio vivem caos produtivo”

Antes de ser aderir à plataforma, Murat cogitou criar um e-commerce. No entanto, os custos da operação, como criação da loja virtual, investimento em marketing digital, contratação de profissionais para separar e entregar os pedidos, inviabilizaram o projeto. 

O custo para o supermercado fazer parte da plataforma consiste uma comissão de 12% sobre o valor de cada compra. Atualmente, seis redes da capital utilizam o Supermercado Now. 

Para Marco Zolet, CEO e fundador da Supermercado Now, a estratégia consiste em focar em pequenos e médios mercados, que representam 80% do segmento. 

Até o fim do ano, a plataforma deve chegar a todos os bairros da capital paulista e mais algumas cidades da região metropolitana. 

“Vamos faturar R$ 10 milhões de reais em 2017”, afirma Zolet. 

MURAT, DO SANTA GEMA: PLATAFORMA ATRAI CONSUMIDORES COM ALTO PODER AQUISITIVO

PRATO QUENTINHO

Para donos de restaurante, uma opção é o VoceQPad, aplicativo que permite que consumidores encontrem pontos de venda, num raio de até um quilômetro, acessem o cardápio e faça pedidos, que vai diretamente para a cozinha, o que dá mais agilidade ao serviço. 

O pagamento pode ser feito pelo aplicativo ou em dinheiro, direto no estabelecimento. Atualmente, 180 pontos de venda utilizam o VoceQPad – entre eles restaurantes da marca Casa do Pão de Queijo, Spoleto e Rizzo Gourmet. 

SAIBA MAIS: Como evitar a fuga de clientes na hora da compra

Para os lojistas, o valor cobrado pelo uso do aplicativo varia de acordo com o volume de pedidos feitos pelo sistema. 

Entre as vantagens do aplicativo para os comerciantes estão a entrega mais ágil e maior abrangência de atuação (uma vez que o público não fica mais restrito as imediações do restaurante ou usuários de praça de alimentação de shopping). 

FOTOS: Thinkstock e divulgação 



De forma geral, os indicadores continuam em patamares melhores do que no ano passado, mas ainda aquém do desejável de uma economia em sua plenitude, de acordo com a Fecomercio

comentários

Os preços dos eletroeletrônicos foram os que registraram as maiores quedas, de 5% em média, na passagem de maio para junho

comentários

Pesquisa traça tendências de consumo e hábitos de compra no comércio online e seus impactos decisivos no mundo físico

comentários