São Paulo, 27 de Julho de 2017

/ Opinião

Tecido esgarçado
Imprimir

É falsa a ideia do governo de que estamos diante de uma "conspiração" contra o PT. São antigas as críticas ao projeto de poder daquele partido

“O comportamento de nossa elite dirigente, ainda que parte ponderável dela possa ser de origem humilde, é a de enxergar na massa, especialmente a votante, um contingente de apoio que será perene quanto mais depender dos favores do poder público, especialmente, de programas de governo que garantem a subsistência miserável, tornando permanente o estado de dependência e pobreza... enquanto a maioria silenciosa da classe média, em suas ramificações econômicas, pasma, assiste e paga a conta, sem perceber, o seu nível de discernimento, de indignação, vai se esvaindo, porquanto a repetição infinda de atos desabonadores no seu cotidiano a faz acreditar que aquilo é o normal, é o certo, para sobreviver... que inversão perversa de valores. A proliferação dos maus exemplos vindos dos políticos e governantes que tendem a se estender como um organograma esquematizado vira referencial do tipo salve-se quem puder... o crime não tem limites quando sabe que não haverá punição e/ou as leis o favorecem...”

Extraído do texto “O poder e os valores”, do livro “Cidadania Já”, de minha autoria, página 20 da segunda edição, de março de 2010.
 
“Está tudo errado, e as pessoas encarregadas de promover a mudança, eliminar os vícios e comportamentos incorretos são seus patrocinadores e disso se beneficiam... assim tem sido, assim será, enquanto a massa eleitoral não discernir entre o certo e o errado, entre o que é público e privado.”

Extraído do texto da coluna “Brasil, salve-se quem puder” publicada no Diário do Comércio em 11 de janeiro de 2011.

Usei dos simples exemplos, de quatro e de três anos atrás, para mostrar ao leitor que o grito de alerta, o brado de indignação que está ganhando corpo na imprensa brasileira contra os métodos de governo da era lulilma, de há muito são formulados por mim e não fazem parte de nenhuma conspiração, não são instrumentos de ódio ao povo, nem representam tentativas das elites de desestabilizar o governo petista. Enfim, não cabem nas falácias por eles utilizadas para tentar, sempre, desconstruir quem não concorda com seu projeto de poder eterno. E a cada dia mais gente enxerga o que eu já enxergava bem lá atrás. Trata-se de uma proposta de poder de um partido e nada mais.

As desculpas, sempre colocadas como escudo de defesa dos petistas e aliado$, de criar inimigos imaginários culpados pelos erros deles, os petistas e aliado$, além de “partir para cima”, agredindo, ofendendo verbalmente, quem deles ousa discordar, criando no Brasil “eles” e “nós”, começam a perder efeito.

As bravatas de Lula, o chororô permanente de Dilma, as catilinárias de Falcão perdem espaço a cada dia. As falsidades ideológicas de Gilberto Carvalho, os engodos de Marco Aurélio Garcia e outras “lideranças” petista comprometidas só consigo mesmas, somam um movimento de indignação que cresce no país, não por complôs ou motins, mas porque eles próprios se excederam tanto e há tanto tempo na arte de ludibriar o país que os fatos negativos, os seus malfeitos, vazam pelo ladrão, se a figura de retórica cabe aqui, sem que seja preciso existir oposição. Que começa a existir.

Tudo isto para dizer, sem ser, repito, nenhuma conspiração, que o país está tão cansado disso tudo que Dilma, vencendo novamente a eleição, à custa dos brasileiros que votam sem pensar, o Brasil não aguenta mais quatro anos de desmandos e ausência de rumos construtivos.

Não sou profeta do apocalipse. Mas está tudo tão evidente que é fácil prever que não haverá mais sustentação política, econômica e mesmo social, para um  mandato cujo objetivo é o poder pelo poder.

Estamos a caminho da degeneração dos costumes, valores, procedimentos éticos, educação, cidadania, pelos exemplos que vêm de cima.

E não é de agora. Se eu voltar mais ainda no tempo, pesquisando o que escrevo há anos, acharei isto tudo lá atrás, nada pessoal, mas fruto da vivência, da observação, no jornalismo. O tempo só me deu razão, e agora o coro nacional que se levanta contra os malfeitos do petismo se nivela ao que mostro com objetividade há tempos.

 



PT, PC do B e Psol apoiam o regime de Nicolas Maduro, e o clima nesses partidos de esquerda é de ressentimento. Mas as Forças Armadas não se deixariam instrumentalizar por aqui

comentários

Mudar as regras do jogo em caso de queda de Temer seria uma manobra demorada no Congresso. Mas, se desse certo, favoreceria a candidatura presidencial de Lula

comentários

O processo foi originado de uma ação movida em 2014 pelo PSDB, que pedia a cassação da chapa vencedora das últimas eleições para presidente

comentários