São Paulo, 01 de Outubro de 2016

/ Opinião

120 anos de lutas pela liberdade
Imprimir

"A ACSP vem procurando cumprir os objetivos traçados por seus fundadores e expressos no discurso de instalação, procurando sempre defender a liberdade em seu sentido mais amplo", escreve seu presidente, Rogério Amato

A Associação Comercial de São Paulo foi fundada em 7 de dezembro de 1894, pelo coronel Antonio Proost Rodovalho. Em seu ato de instalação, a entidade foi definida pelo presidente da Província de São Paulo, Bernardino de Campos, “como poderoso auxiliar consultivo do governo”.  Na mesma solenidade, seu diretor-secretário, comendador Duarte Rodrigues, afirmou que “a Associação cria, entre o Estado e o indivíduo, forças coletivas livres que, por uma parte, dispensam o governo de intervenções de que mal podem se desobrigar, e que, por outro lado, desenvolvem no mais alto grau o espírito de iniciativa”. Afirmou, ainda que, “nos países livres, a Associação reparte, por assim dizer, com o Estado, os ônus sociais. Um conserva-se como guarda vigilante, assegurando a todos a ordem e a liberdade; outra põe em campo sua atividade e estimula e desenvolve os interesses da coletividade. Qual cimento das sociedades modernas, a associação liga os indivíduos isolados e, pela reunião, multiplica-lhes as forças, pela ação livre do poder coletivo dos indivíduos...”

Há 120 anos a ACSP vem procurando cumprir os objetivos traçados por seus fundadores e expressos no discurso de instalação, procurando sempre defender a liberdade em seu sentido mais amplo, do qual a livre iniciativa no campo econômico é um de seus pilares, buscando unir os empresários e lutando pelo desenvolvimento econômico e social do país.

Como entidade civil, sem qualquer recurso de origem governamental ou compulsória, congrega em seus quadros empresas comerciais, industriais, agrícolas e prestadoras de serviços, além de instituições financeiras e profissionais liberais ligados às atividades econômicas, desde as micro empresas individuais, até grandes empresas e conglomerados, representando um mosaico bastante representativo da estrutura empresarial brasileira.

A ACSP possui 15 sedes distritais que cobrem toda a área da Capital. Participa da FACESP – Federação das Associações Comerciais do Estado de SP, que conta com 420 entidades comerciais das diversas regiões paulistas, através da qual faz parte da CACB - Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, que congrega mais de duas mil entidades no país.

"A ACSP está preparada para os próximos 120 anos, graças aos seus princípios e valores imutáveis"

Muitos episódios poderiam ser relacionados para mostrar sua trajetória. Eles estão relatados no livro comemorativo do 120º aniversário da entidade. Mais importante é destacar que sua atuação sempre se fez com respeito à tradição e aos valores que nortearam seus fundadores e todos aqueles que os sucederam durante esse longo período, buscando, porém, conciliar a tradição com as exigências das mudanças ocorridas nesse mais de um século, quando o país alternou ciclos de prosperidade, com crises políticas e econômicas, exigindo dos empresários, bem como de suas entidades, muitos esforços para sobreviverem e prosperarem.

Vivemos um período de mudanças - tecnológicas, demográficas, de costumes, políticas - combinadas com um cenário de incertezas na economia, que exigem, tanto das empresas como das entidades, capacidade de adaptação e, mesmo, de transformação em suas estruturas e métodos operacionais, sem que percam suas origens e valores. A ACSP, que sempre procurou ser “contemporânea de seu tempo”, vem procurando se adequar a esse cenário ainda em mutação, mas que já exige mudanças significativas para que ela possa continuar a ser não apenas a voz dos pequenos e micro empresários, mas também uma prestadora de serviços que os auxiliem na administração de seus negócios e na sobrevivência dos mesmos em um ambiente de incertezas e dificuldades na economia.

Poucas organizações, empresas ou entidades ultrapassam a marca de um século de existência, especialmente num país ainda relativamente novo e em constante transformações. A ACSP pode se orgulhar de ser uma delas. Mas, o mais importante é constatar que ela está preparada para os próximos 120 anos, graças a seus princípios e valores que são imutáveis, mas também graças à sua capacidade de continuidade na mudança, ou de mudança com continuidade. 
ROGÉRIO AMATO
Presidente da Associação Comercial de São Paulo e da Facesp

                                                                                           

 


                                                                                                                              

 

 



Economistas e urbanistas apontam o planejamento como instrumento de maior potencial para favorecer o ambiente de negócios na capital paulista

comentários

O volume de vendas caiu 13% em julho ante igual mês de 2015, revela a pesquisa ACVarejo, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)

comentários

Gratuito para associados, o emissor é uma versão do myrp, um sistema de gestão empresarial pela web que possibilita o gerenciamento de uma pequena empresa pela internet de forma 100% segura

comentários