São Paulo, 27 de Março de 2017

/ Negócios

Vendas de veículos crescem mais no interior do que nas metrópoles
Imprimir

O comércio de automóveis na capital paulista, com 11,8 milhões de habitantes, registrou crescimento de apenas 6% no ano passado

Por um bom tempo, o charme da pequena Itupeva, a 70 quilômetros de São Paulo, era ter um único semáforo, na principal avenida da cidade, a Brasil. De um ano para cá, contudo, a cidade ganhou mais oito, e o congestionamento não para de aumentar.

Como na grande maioria dos municípios com até pouco mais de 50 mil habitantes, as vendas de veículos em Itupeva mais que dobraram entre 2007 e 2013, independentemente das baixas que afetaram o mercado como um todo nesse período.

Só em Itupeva a alta das vendas foi de 143%. Em São Paulo, que abriga 11,8 milhões de pessoas, o crescimento foi de apenas 6%. No Brasil como um todo, a média foi de 53% de alta - passou de 2,3 milhões para 3,5 milhões de veículos.

O crescimento da renda, a multiplicação das atividades produtivas como a agropecuária e a interiorização de várias indústrias são fatores que contribuíram para o aumento da demanda por carros nas cidades de menor porte, diz Luiz Moan, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Nas grandes metrópoles como São Paulo, Rio e Brasília, com mais de 500 mil habitantes, o crescimento ficou abaixo da média brasileira. "São praticamente vendas para substituição de frota", afirma Moan. Já nas cidades com até 500 mil moradores, a média do aumento de vendas é de 80%. O mais alto porcentual foi verificado nas localidades com até 5 mil habitantes, de 142%.



A projeção é do Instituto de Economia da ACSP com base em dados do IBGE e do Índice Nacional de Confiança (INC), pesquisa mensal da Associação Comercial de São Paulo

comentários

Levantamento da Fecomercio mostra, entretanto, que na média os estoques ainda estão bem acima do ideal

comentários

Para Alencar Burti, presidente da ACSP, o resultado, ainda que preliminar, aponta para um arrefecimento da crise

comentários