São Paulo, 30 de Setembro de 2016

/ Negócios

Uma Páscoa bem pesada para o seu bolso
Imprimir

A pesquisa feita pela Boa Vista SCPC aponta que 68% dos consumidores pretendem gastar menos neste feriado

Na maioria das casas brasileiras, o feriado da Páscoa é sinônimo reunir a família para o almoço. Além dos chocolates, o bacalhau e outros peixes não podem faltar na data.

Mas com os produtos cada vez mais caros, o feriado pode ficar sem alguns desses itens tradicionais: 68 % dos consumidores pretendem gastar menos nesta Páscoa, mostra uma pesquisa realizada pela Boa Vista SCPC.
 
Ainda de acordo com o levantamento, um dos produtos mais procurados é o chocolate – 77% dos consumidores pretendem comprá-lo. Entre eles, 61% comprarão ovos de Páscoa, enquanto 39% vão escolher opções mais baratas, como bombons e barras. O gasto médio da maioria desses consumidores deve ser entre R$50 e R$ 200.

LEIA MAIS: Alta do dólar tira os importados da mesa dos consumidores

Há também os que dispensam o chocolate e preferem gastar com outros itens: 33% adquirem outros tipos de alimento, 9% fazem compras não especificadas, 5% optam por viagens, 2% gastam com lazer e 1% prefere brinquedos.

Para Álvaro Furtado, presidente do Sincovaga, sindicato que reúne cerca de 40 mil supermercadistas paulistas, a Páscoa de 2015 deve ser modesta. “Com a inflação, o endividamento das famílias e as incertezas econômicas, os consumidores devem limitar seus gastos e comprar apenas os itens mínimos”, afirma. “Os produtos mais caros vão ficar nas prateleiras.”

O PEIXE ESTÁ SALGADO
 
A procura pelo bacalhau, um dos pratos típicos da Semana Santa, caiu cerca de 30% neste ano, segundo o Rei do Bacalhau, uma das lojas mais tradicionais do Mercado Municipal de São Paulo. “A alta do dólar provocou um aumento de cerca de 40% nos preços, assustando os consumidores”, diz Flávio Gomes de Oliveira, gerente da loja.
 
Para enfrentar o consumidor mais retraído, o Rei do Bacalhau importou neste ano meia tonelada do peixe ou 50% menos do que no ano passado. Nesta semana, a loja comercializou 200 quilos e espera até o final desta semana vender mais 300.

LEIA MAISOvo de Páscoa paga 38,53% de impostos
 
Nesta mesma época do ano, em 2014, o Rei do Bacalhau, segundo ele, já havia vendido três vezes mais. “A loja está movimentada, só que, quem comprava dez quilos, agora leva cinco. Quem comprava dois quilos, agora leva um quilo”, diz.
 
No ano passado, o Rei do Bacalhau vendia a R$ 39 o quilo do filé de bacalhau. Hoje, vende a R$ 58. O preço do miolo de bacalhau já subiu de R$ 95 para R$ 130 o quilo. “O pessoal está agora preferindo as lascas de bacalhau, que custam R$ 30 o quilo”.   

 



A expectativa para os próximos 12 meses repetiu o mesmo resultado de agosto, de acordo com sondagem da FGV

comentários

Demora no ajuste econômico e no processo de impeachment faz Índice de Confiança do Estado de São Paulo cair cinco pontos. Nível do índice no Brasil em agosto permanece estável, informa ACSP

comentários

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) medido pela FGV passou de 76,7 pontos em julho para 79,3 pontos em agosto -maior patamar desde janeiro de 2015 (81,2 pontos)

comentários