São Paulo, 08 de Dezembro de 2016

/ Negócios

Pedidos de falência crescem em abril
Imprimir

A economia fraca e os aumentos de impostos decorrentes do ajuste fiscal do governo foram apontados por economistas como responsáveis pela alta

Os pedidos de falência registraram alta de 9,7% em abril ante igual mês do ano passado, segundo pesquisa da Boa Vista SCPC. Na comparação com março, a alta foi menos intensa, de 1,9%. Mesmo assim, na comparação do primeiro quadrimestre deste ano ante igual período de 2014, houve queda de 1,7%. 

Já as falências decretadas quase dobraram na comparação interanual, com alta de 98%. Na passagem de março para abril houve estabilidade. No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, a elevação das falências decretadas é de 30,8%.

Já os pedidos de recuperação judicial registraram alta em todas as bases comparativas: 2,5% no acumulado do ano, 37,2% entre março e abril e 57,4% na base interanual. 

As recuperações judiciais caíram 13,4% entre janeiro e abril de 2015 ante igual período do ano passado, mas avançaram 11,8% em abril ante abril de 2014 e aumentaram 51,8% na comparação entre março e abril.

"Diante de uma atividade econômica em desaceleração, as empresas seguem com dificuldade de gerar caixa e as restrições ao crédito dificultam a aquisição de empréstimos para o capital de giro", dizem os economistas da Boa Vista. 

Sem perspectiva de reversão deste cenário no curto prazo, os economistas estimam que o indicador de falências encerre 2015 em níveis mais altos que os registrados em 2014.

SERASA

Os dados fornecidos pela Serasa Experian mostram um cenário ainda mais dramático. Os pedidos de falências totalizaram 161 em abril e atingiram o maior valor do ano. O resultado significa um crescimento de 15% na comparação com março de 2015, quando foram realizados 140 pedidos. 

Em relação a abril de 2014, a alta foi de 23,8%, já que houve 130 requerimentos, configurando também o pior dado dos últimos três anos para meses de abril.

De acordo com a equipe da Serasa, o aumento no número de pedidos de falência reflete o enfraquecimento da economia, influenciado pela elevação "contínua" do custo financeiro das empresas, pela alta do dólar e por outros gastos como os com energia elétrica e combustíveis, que estão prejudicando a saúde financeira das companhias.

Do total de 161 pedidos de falência feitos no quarto mês deste ano, 85 foram de micro e pequenas empresas, 33 de médias e 43 de grandes. 

Conforme a Serasa, as recuperações judiciais tiveram crescimento de 30,7% em abril ante março, sendo que foram feitas 98 solicitações no quarto mês deste ano e 75 no anterior. 

As micro e pequenas empresas lideraram a lista de requerimentos de recuperação judicial com 54 pedidos. Na sequência aparecem as médias (29) e, depois, as grandes empresas (4).

LEIA MAIS: Mais de 480 mil empresas foram criadas no país em 2015

 



Essa foi a primeira alta do semestre. Houve aumento de 11% na movimentação dos consumidores no final de semana de 25 a 27 de novembro, de acordo com Serasa

comentários

As micro e pequenas empresas lideraram os pedidos de recuperação e de falências no ano, segundo a Serasa Experian

comentários

No acumulado deste ano, o indicador avançou 24,9% em relação ao mesmo período de 2015

comentários