São Paulo, 07 de Dezembro de 2016

/ Negócios

Número de shoppings no interior supera o das capitais
Imprimir

Dos 520 empreendimentos lançados no País, 264 estão em cidades do interior

O ano de 2014 teve a inauguração de 24 shopping centers, totalizando 520 empreendimentos no País, de acordo com dados publicados nesta terça-feira (27), pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). Foi o primeiro ano em que os shoppings no interior se tornaram mais numerosos do que nas capitais. Do total de 520 empreendimentos, 256 estão nas capitais (49%) e 264 no interior (51%).

A área bruta locável (ABL) atingiu 13,845 milhões de metros quadrados, 7% a mais do que no ano anterior. O número de lojas aumentou 10,4%, para 9.242 unidades.  Das 26 inaugurações previstas para 2015, 15 serão no interior e 11 nas capitais, mostrando uma tendência de aumento da participação das cidades do interior.

Para 2015, a previsão da Abrasce é de abertura de 26 empreendimentos. Boa parte do número deste ano será formado por shoppings inicialmente programados para abrirem as portas em 2014. No ano passado, a associação estimava a abertura de 43 empreendimentos, mas apenas metade disso se concretizou.

O presidente da Abrasce, Glauco Humai, ponderou que não há crise no setor, e atribuiu os adiamentos ao momento menos favorável da economia brasileira, que geram receio entre empreendedores e lojistas. Além disso, questões como licenciamento junto a órgãos públicos dos projetos e falta de mão de obra e de fornecedores também provocaram adiamentos, segundo Humai.

"É muito comum no setor que algumas inaugurações fiquem para o ano seguinte", disse o executivo. "A economia não está tão bem. Todo mundo fica receoso. E tem também a questão de licenças. São problemas estruturais que existem em todos os setores e se somam ao momento de incerteza da economia", explicou.

A Abrasce prevê ainda que o investimento em 2015 alcançará R$ 16,5 bilhões em 2015, dos quais R$ 4,9 bilhões para expansões de shoppings já em funcionamento e R$ 11,5 bilhões para a construção de novos empreendimentos.



Fluxo de visitantes foi 2,8% menor do que na edição 2015, segundo dados da Abrasce

comentários

O fluxo de visitantes nesses estabelecimentos caiu quase 4% desde o começo do ano

comentários

Atraídas por aluguéis e taxas de condomínio mais baratas, marcas como Sketch, Dupari, Zatta e Souq (na foto) tomam o espaço de redes tradicionais. Mas há riscos, alertam especialistas

comentários