É justamente na crise que os produtos de qualidade se destacam


A lição é da empresária Berenice Zani (foto), dona da marca Larulp. Ela contou como cativa os clientes em tempos de recessão no 2° Congresso Estadual da Mulher Empresária da Facesp e ACSP


  Por Thais Ferreira 18 de Setembro de 2015 às 19:33

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


Filha mais velha entre nove irmãos, Berenice Zani percebeu seu desejo de empreender quando ainda era criança. Em 2004, em Franca, no interior de São Paulo, ela decidiu começar sua própria marca de lingeries e roupas fitness. Comprou três máquinas de costuras usadas e, dessa forma, começou a história da Larulp

Hoje, ela divide o comando dos negócios com o marido e os dois filhos. Nesses 11 anos, a empresa cresceu: hoje tem 60 funcionários e fabrica 15 mil peças por mês.

“O que eu chamo de empreendedorismo, as pessoas chamavam de loucura na época”, disse no 2º Congresso Estadual da Mulher Empresária, da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Além de produzir roupas fitness, a empreendedora também decidiu ampliar seus negócios e montou uma academia de ginástica que leva o mesmo nome da marca. 

LEIA MAIS: Empreendedoras têm entusiasmo para enfrentar o pessimismo

COMO ENFRENTAR A CRISE

Para Berenice, o segredo para enfrentar a crise econômica é conhecer os clientes. “Escuto frequentemente que meus produtos são caros. Aprendi a convencer meus clientes que o preço vale pela qualidade”, afirma.  

A empresária acredita que, numa época de baixo consumo, as pessoas se tornam mais seletivas e pesquisam mais na hora de escolher o que comprar.  “É justamente na crise que os produtos de qualidade mais se destacam”, diz Berenice. 

Outra forma de lidar com o difícil período econômico é contar com o apoio e conhecimento de outros empresários. Desde 2004, Berenice faz parte do Conselho de Mulheres Empreendedoras de Franca, no interior de São Paulo.

“A troca de experiências do grupo é algo que ajudou a resolver muitos problemas internos da minha empresa”, diz Berenice. “Trocamos informações sobre gestão que fazem a diferença no dia a dia dos negócios.”

FOTO: Redação DC