São Paulo, 26 de Setembro de 2016

/ Negócios

Desempenho do varejo no Interior paulista é superior ao da capital
Imprimir

É o que revela um levantamento da ACSP. Redes como a Applebee´s expandem a marca de seus restaurantes para cidades como Campinas (na foto), Itupeva e Sorocaba

O comércio varejista do Estado de São Paulo teve desempenho superior ao da capital, em 2014, aponta a pesquisa ACVarejo, da ACSP (Associação Comercial de São Paulo). As vendas no Estado e capital acumulam perdas de 3,3% e 5,7% no ano. Cidades do interior tiveram maior crescimento em relação à capital, região metropolitana e litoral.
 
De acordo com os dados da ACSP, o volume de vendas apresentou quedas de 5,7% no varejo ampliado e de 2,6% no restrito na capital, de janeiro a outubro. Já o Estado acumula perdas 3,3% no varejo ampliado e de 0,3% no varejo restrito.
                 
Em outubro, as vendas no Estado registraram recuos de 9,1% no varejo ampliado e de 6,5% no varejo restrito, comparadas ao mesmo período de 2013. Na mesma comparação, as vendas na capital caíram 10,4% e 6,9%, respectivamente.                                       

“O desempenho do varejo do Estado é relativamente pior que a média nacional, e, por sua vez, o da capital está abaixo da média do total estadual. Além do menor crescimento dos salários, as quedas no crédito à pessoa física e na confiança no consumidor e, principalmente, as demissões da indústria, afetam relativamente mais o comércio da região. No caso da capital, sua perda de importância econômica relativa para o interior do estado intensifica a contração das vendas”, afirma Rogério Amato, presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo). 
 
Os setores que registraram pior desempenho no volume de vendas nos primeiros dez meses do ano foram as concessionárias de veículos (-15,6%), as lojas de departamento (-14,7%) e lojas de móveis e decorações (-9,6%).  
 
Já os setores com melhor desempenho, de janeiro até outubro, foram as lojas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos (+13,1%), supermercados (+1,8%) e farmácias e perfumarias (+1,8%).
 
Com quedas de 7,1% no varejo ampliado e de 5,6% no varejo restrito, a região do Grande ABC apresentou o pior volume de vendas desde o início do ano até outubro. O litoral paulista também teve baixo desempenho e acumula perdas de 5,4% no varejo ampliado e de 4,4% no restrito.
 
Na direção contrária de outras localidades, as regiões do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Jundiaí foram as únicas a registrar saldo positivo no volume de vendas. O varejo ampliado do Alto Tietê sofreu alta de 4,3% e de 3,7% no restrito, o Vale do Paraíba aumentou 0,7% no ampliado e 2,9% no restrito. E a cidade de Jundiaí teve crescimento de 0,6% no ampliado e 1,7% no restrito.
 
Reges Donatti Filho, presidente da ACE Jundiaí (Associação Comercial e Empresarial de Jundiaí), credita o crescimento da cidade ao fortalecimento do comércio e do consumo locais. “A ACE Jundiaí tem trabalhado para que os moradores sejam clientes fiéis do comércio local e para que os lojistas ofereçam preços competitivos em relação aos praticados em São Paulo. Além disso, nossa população cresceu cerca de 20% nos últimos quatro anos com a maior oferta de empregos”, diz.

DONATTI FILHO, DA ACE JUNDIAÍ: ESTIMULANDO AS COMPRAS LOCAIS E PREÇOS COMPETITIVOS

Outro levantamento elaborado pelo IEGV (Instituto de Economia Gastão Vidigal), da ACSP, revela que de 2008 a 2013, as vendas aumentaram em 20% no Estado e o emprego cresceu 25% no varejo. O mesmo estudo mostra que apesar de apresentar um crescimento significativo, o comportamento do varejo não foi homogêneo. Algumas  regiões registraram aumento superior a 40%, como Osasco (43,4%) e Guarulhos (42,1%), ou próximo disso, como Sorocaba (39,1%). 
 
De acordo com as projeções, Campinas está entre as cidades com mais possibilidade de crescimento até 2020. Nesse sentido, a rede americana Applebee´s se mostrou visionária. Quatro anos depois de inaugurar sua primeira unidade em São Paulo, fincou sua marca em Campinas. Opera hoje com nove unidades no Estado de São Paulo,

O franqueado Oswaldo Martins Netto, responsável por trazer o Applebee’s ao Brasil, diz que a soma do faturamento das três unidades do interior representava 35,5% dos lucros até novembro.

“É potencial de consumo dos moradores um dos motivos de a Applebee’s estar presente no interior de São Paulo. A unidade de Campinas, por exemplo, instalada no Iguatemi Shopping, foi o restaurante recordista de vendas em um único dia, servindo 1,4 mil clientes”, afirma.

 

UNIDADE DA REDE APPLEBEE´S EM CAMPINAS: EXPANDINDO NA ROTA DO INTERIOR PAULISTA

De acordo com os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Campinas detém o terceiro maior PIB (Produto Interno Bruto) entre as cidades que não são capitais. Por esse critério só perde para Campo dos Goytacazes, no Rio de Janeiro e para Guarulhos, em São Paulo. No ranking geral, Campinas surge em décimo lugar, à frente de 17 capitais do país.   
 
Sorocaba e Itupeva são igualmente exemplos da expansão da marca no interior. “A unidade de Sorocaba, localizada no Villàggio Shopping, tem o maior percentual de vendas de bar, 30% superior do que na capital paulista. A de Itupeva, no Outlet Premium, foi a que mais vendeu por hora de funcionamento. São números incríveis, que colocam o interior de São Paulo  em nossos planos de expansão”, diz Netto.

 



Nesta quarta-feira (21/09), Dia Internacional da Paz, o atleta, que ganhou duas vezes a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, foi homenageado na ACSP, ao lado de personalidades como as atrizes Eva Wilma e Nicete Bruno

comentários

Acima de um terço das companhias entrevistadas em levantamento da Ancham/SP informam que até dezembro colocarão em prática novos investimentos

comentários

O prefeito Fernando Haddad (PT) será o quarto candidato sabatinado no ciclo de debates com candidatos a prefeito promovido pela Associação Comercial de São Paulo

comentários