São Paulo, 28 de Junho de 2017

/ Negócios

As vendas de material de construção se retraem
Imprimir

Em fevereiro, segundo a Abramat, entidade que reúne as indústrias do setor, houve queda de 16,4%

A demanda por materiais de construção voltou a recuar em fevereiro, impactada pelo menor número de dias úteis na comparação com o mesmo período de 2014.

O setor vendeu 16,4% a menos no mês passado em relação ao ano anterior. Já no comparativo com janeiro, a queda foi de 6,4%, segundo pesquisa divulgada há pouco pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). No acumulado dos últimos 12 meses, as vendas de materiais recuaram 9,2% ante o ano imediatamente anterior.

O presidente da entidade, Walter Cover, destaca que o resultado continua muito abaixo do crescimento esperado de 1% em 2015. De acordo com ele, a projeção para o ano poderá ser revista a partir dos resultados obtidos em março. Para os próximos meses, as expectativas do setor apontam modesta recuperação dos resultados, associada principalmente às vendas no varejo.

O estudo mostrou ainda que as vendas de materiais de básicos continuaram a apresentar quedas maiores que as de materiais de acabamento. Isso indica que há mais obras em fase de entrega do que em estágio inicial, sinal de desaquecimento do mercado imobiliário. A comercialização de materiais de base caiu 17,6% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, e caiu 7,6% em relação a janeiro.

Já os materiais de acabamento registraram um recuo de 13,6% na comparação anual e de 3,3% ante o mês anterior.

O nível de emprego na indústria de materiais de construção também apresentou queda, de 10,2% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2014. Na comparação com janeiro, por outro lado, o volume de funcionários contratados aumentou 0,3%.A demanda por materiais de construção voltou a recuar em fevereiro, impactada pelo menor número de dias úteis na comparação com o mesmo período de 2014.

O setor vendeu 16,4% a menos no mês passado em relação ao ano anterior. Já no comparativo com janeiro, a queda foi de 6,4%, segundo pesquisa divulgada há pouco pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). No acumulado dos últimos 12 meses, as vendas de materiais recuaram 9,2% ante o ano imediatamente anterior.

O presidente da entidade, Walter Cover, destaca que o resultado continua muito abaixo do crescimento esperado de 1% em 2015. De acordo com ele, a projeção para o ano poderá ser revista a partir dos resultados obtidos em março. Para os próximos meses, as expectativas do setor apontam modesta recuperação dos resultados, associada principalmente às vendas no varejo.

O estudo mostrou ainda que as vendas de materiais de básicos continuaram a apresentar quedas maiores que as de materiais de acabamento. Isso indica que há mais obras em fase de entrega do que em estágio inicial, sinal de desaquecimento do mercado imobiliário.

A comercialização de materiais de base caiu 17,6% em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, e caiu 7,6% em relação a janeiro. Já os materiais de acabamento registraram um recuo de 13,6% na comparação anual e de 3,3% ante o mês anterior.

O nível de emprego na indústria de materiais de construção também apresentou queda, de 10,2% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2014. Na comparação com janeiro, por outro lado, o volume de funcionários contratados aumentou 0,3%.



Depende. Em primeiro lugar, o comerciante deve conhecer e calcular todos os custos envolvidos nas vendas realizadas em cada meio de pagamento

comentários

Este ano será marcado pela tentativa das cervejarias, mais do que nunca, "roubar" mercado das rivais

comentários

Em maio, o IPCA registrou alta de apenas 0,05% nos serviços, com reflexos diretos sobre negócios do setor

comentários