São Paulo, 29 de Setembro de 2016

/ Negócios

5 segredos sobre o mercado de franquias
Imprimir

Parece fácil abrir loja de uma marca famosa. Mas é preciso ficar atento aos bastidores do setor para o negócio dar certo

Com a perspectiva de crescer entre 7,5% e 9% neste ano, segundo projeções da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor tem sido um dos mais promissores para quem quer empreender.

Diego Simioni, sócio-fundador da consultoria GoAkira, especializada em desenvolvimento de negócios, mostra como ficar atento a pequenos detalhes antes de investir para não se frustrar depois. 

Na hora de alugar o ponto comercial, o franqueado pode se sobressaltar com o preço. Mas nem sempre o alto custo significa má escolha: tudo vai depender de análise prévia do ponto e do faturamento. Por isso, em vez de descartar de pronto, analise friamente.

Optar por um espaço já consolidado para implantar a franquia, como um shopping maduro, realmente exige maior desembolso. Mas a garantia de demanda por produtos ou serviços pelos clientes será maior e compensará o investimento mais adiante.

Mapear possíveis novos pontos para instalação de unidades é praxe entre as redes de franquia. Também é importante ficar claro na Circular de Oferta de Franquias (COF) quais as regras e condições para abrir uma unidade em determinada área.

Mas é importante que o futuro franqueado pesquise também se há outras unidades da rede próximas ao local onde planeja abrir a sua, para não haver competição/canibalização entre franquias da mesma marca. “Não deixe para se surpreender com essas informações quando estiver com as portas abertas”, afirma Simioni.

Não basta ter capital em mãos para abrir uma unidade franqueada: é preciso ter afinidade com o segmento escolhido. Abrir um pet shop, por exemplo, pode parecer uma tremenda oportunidade ou garantia de sucesso, já que esse mercado continua em alta.

Mas se o interessado não tiver habilidade nem gostar de bichos para lidar com eles no dia a dia, há um risco e tanto de o negócio não vingar. Ou seja: não basta só gostar: tem que querer trabalhar em determinado ramo, com suas vantagens e desvantagens. 

LEIA MAIS: Sebrae garante R$ 25 milhões em créditos para franquias

Ao contrário de abrir um negócio do zero, no franchising é essencial estar preparado para seguir as regras do franqueador. Afinal, a padronização das redes é a característica que faz esse modelo de negócio dar certo.

Por outro lado, Simioni lembra que franqueado não é funcionário, mas sim um investidor, um CNPJ, uma parte da franqueadora – e por isso, não pode manter uma relação de subordinação.

“Não adianta pedir à rede para alguém substituí-lo quando sair de férias, por exemplo", afirma o consultor. "O franqueado tem que assumir totalmente o risco do negócio, sejam os bônus ou os ônus. E sempre participar de ações de gestão colaborativa.”

LEIA MAIS: Franquias: é preciso discutir a relação nos mínimos detalhes

Quem quer investir em franquias tem de colocar a mão na massa. Por isso, converse com outros franqueados para conhecer a dinâmica do trabalho e não se frustrar, caso seu desejo seja somente administrar. 

SIMIONI, DA GoAKIRA: GESTÃO ALINHADA/FOTO: DIVULGAÇÃO

Franchising é barriga no balcão, e a maioria das redes procura franqueados com perfil de quem comanda, mas também participa do dia a dia. Por isso, hoje há alguns deles com mais de 100 unidades franqueadas, e muitas vezes multimarca ou multibandeira.

“Se redes e franqueados alinham expectativas já na aquisição, essa é a oportunidade de construir um sistema de gestão também alinhado e de sucesso”, conclui o consultor. 

Foto: Thinkstock



Agora ele espera que o discurso se materialize na prática, de acordo com o presidente do Citi no Brasil, Hélio Magalhães

comentários

Francislei Henrique (foto), presidente nacional da CUFA (Central Única de Favelas), diz que a disposição dos moradores para empreender segue firme. Laços afetivos nas comunidades contribuem para a proliferação de negócios

comentários

Fabíola Molina transformou seu nome em marca de prestígio no segmento de moda praia. A empresária retorna ao cenário olímpico com uma coleção exclusiva para a Rio 2016

comentários