São Paulo, 29 de Maio de 2017

/ Inovação

Uma ponte entre startups e grandes companhias
Imprimir

Conheça as dez empresas em estágio inicial que foram selecionadas pela Open Innovation Week como as mais promissoras do mercado

Chamar a atenção para obter um investimento não é tarefa fácil para uma startup. É preciso ter um modelo de negócios bem estruturado, ser escalável, possuir uma equipe com capacidade para realizar o projeto e um pouco de sorte.

Por outro lado, as gigantes do mercado têm percebido a necessidade de se unirem com essas empresas em estágio inicial para saírem na frente na corrida por inovação.

Com a finalidade de unir essas duas pontas, a Wenovate – organização que conecta pessoas e instituições em programas de inovação aberta – criou o Open Innovation Week.

A oitava edição do evento aconteceu nesta quarta (24/02), no Centro de Convenções Rebouças, na zona oeste de São Paulo.
Foram reunidas 50 grandes empresas inovadoras, entre elas IBM, 3M, HP e Johnson&Johnson, e mais de 20 investidores.  

Participaram também 100 Open Startups (termo para designar startups que estão dispostas a serem parceiras ou receber recursos de grandes empresas para desenvolver seu negócio) que foram consideradas as mais atraentes para o mercado entre mais de 1500 inscritas.

“Esse evento é uma oportunidade única de encontrar e conhecer de uma vez várias startups de diferentes regiões do país”, afirma Renato Pereira, diretor de pesquisa da Johnson&Johnson. “Sempre tivemos a mentalidade de buscar parcerias e essa necessidade está crescendo com o passar dos anos.”

Durante o evento, foram escolhidas dez entre as cem startups consideradas mais promissoras pelas grandes empresas. Conheça as selecionadas por seu ranking de colocação:

SALAROLI, DA LEANSURVAY: A  MAIS ATRATIVA

1.LeanSurvay

Fundada por Alessandro Andrade e Fernando Salaroli, engenheiros formados na Politécnica da USP, a LeanSurvay levou o primeiro lugar da Open Innovation Week. A empresa quer mudar a forma como as pesquisas de mercado são feitas. 

A ideia é baratear os custos das pesquisas presenciais recrutando e qualificando entrevistadores pela internet. As velhas pranchetas são abandonadas e, no lugar, as repostas são colocadas diretamente em formulários online em smartphones. Com isso, é possível contabilizar os resultados de forma mais rápida e eficiente.

2. Beenoculus

A empresa criou uma ferramenta que transforma smartphones em um ambiente de realidade virtual. Por meio desse sistema, a Beenoculus também desenvolveu uma metodologia educacional para unir ensino e diversão.

3. Nexxto

Fundada por Antonio Rossini e Lucas de Almeida, a startup desenvolve soluções de internet das coisas para grandes empresas. O principal produto da Nexxto é uma ferramenta de controle de Datacenter. Entre os clientes da empresa estão a Bovespa e a UOL.

4. Reachr

É uma empresa que pretende solucionar o problema que existe no recrutamento de executivos. A Reachr utiliza princípios de seleção similares ao do Tinder e de recomendação baseados no sistema do Netflix.

5.  Prosumir

Atua no campo de aproveitamento energético. A Prosumir traça um mapeamento dos processos industrias, comerciais e residenciais em busca de soluções para a geração de energia, dessa forma consegue reduzir custos e otimizar processos.

SAMIRA ALMEIDA, DA STORYMAX: TRANSFORMAR A LEITURA EM ALGO INTERATIVO

6. Storymax

Os empreendedores Fernando Tangi e Samira Almeida, da StoryMax, querem tornar a leitura algo mais atraente para jovens e crianças. Para isso, a empresa desenvolve livros com conteúdos audiovisuais, transformando o hábito de leitura em uma atividade mais interativa. 

7. Omnize

Fundada em março de 2015 por quatro sócios, a empresa é uma plataforma que promove o atendimento de consumidores de micro, pequenas e médias empresas. A ideia da Omnize é unir todos os canais de comunicação, disponibilizando serviços de chat, voz e vídeo.

 

LIVIA CUNHA, DA DR. CUCO: EMPRESA APOIA O TRATAMENTO DE PACIENTES

8. Dr. Cuco

É um aplicativo gratuito que ajuda os pacientes a tomarem seus medicamentos na hora certa.  A prescrição dos médicos é convertida em lembretes automáticos no smartphone do usuário. Além disso, permite que as pessoas realizem pesquisas de preços em diversas farmácias do país.

9. Nama

Utiliza inteligência artificial para melhor a comunicação entre as empresas e seus clientes.

 Os usuários não precisam baixar nenhum programa diferente já que a plataforma utiliza plataformas de mensagem, como Facebook Messenger, SMS e e-mail para realizar a comunicação. Com isso as empresas conseguem reduzir custos com o processo de atendimento.  

10. Virtual Care

Sistema que acompanha o estado de saúde e bem-estar de idosos. A empresa utiliza uma tecnologia de monitoramento de alarmes que consegue entender o comportamento das pessoas e, assim, prever situações de risco. Um dos objetivos da Virtual Care é reduzir custos para as operadoras de saúde.

 



Criado em 2014, o Inovabra é um programa de inovação aberta em que pequenas empresas de tecnologia desenvolvem produtos exclusivos para o Bradesco

comentários

A boa notícia é que o número de postos de trabalho nessas empresas tende a crescer, de acordo com especialistas

comentários

Para manter vivo o espírito de startup, a mineira Samba Tech, especializada em transmissão de vídeos online, participa do Cubo – espaço mantido pelo Itaú que reúne negócios emergentes de tecnologia

comentários