São Paulo, 07 de Dezembro de 2016

/ Inovação

O mapa da criatividade no Brasil
Imprimir

Mesmo desconhecendo a denominação técnica do que estavam fazendo, empreendedores se lançaram na economia criativa em São Paulo, Rio e Paraty

Algumas cidades brasileiras trilham esse caminho muito antes de ele ter sido batizado de economia criativa. Outras estenderam o conceito e tentam adotar seus princípios no planejamento urbano e em políticas públicas.

* São Paulo fez a transposição de cidade industrial para os serviços há muito tempo. Isso incluiu atrair os negócios e os profissionais de design, arquitetura, gastronomia, informática e mídias digitais, mercado editorial, artes cênicas, música, moda e cinema e os eventos relacionados a eles, como o SP Fashion Week, o Festival Internacional de Cinema e a Virada Cultural. De acordo com a prefeitura, o PIB da economia criativa na capital movimenta R$ 40 bilhões por ano, quase 10% do PIB total. No estudo Economia Criativa na Cidade de São Paulo – Diagnóstico e Potencialidade, de 2009, organizado pela Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), os resultados, embora defasados, demonstram o quanto a produção de conhecimento e cultura tem sido significativa na economia paulistana. Foram identificados cerca de 296 mil empregos formais, correspondentes a 3,04% dos postos de trabalho na cidade, com uma taxa anual de crescimento de 9,1%. O fenômeno demonstra sua força até mesmo quando se analisa isoladamente alguns bairros – está presente em Pinheiros/Vila Madalena, Itaim-Bibi, Vila Olímpia, Perdizes e Vila Mariana.


Foto: Estadão Conteúdo

* O Rio de Janeiro começou a se preparar para ser reconhecido como uma cidade criativa bem antes de disputar a escolha de cidade sede da Olimpíada de 2016 e principal atração da Copa do Mundo no Brasil este ano. O bairro de Santa Tereza é o símbolo desse movimento, iniciado em 2003, quando o Sebrae/RJ deu início ao projeto de tornar o bairro um destino turístico sustentável para moradores e visitantes. Atualmente, as casas e ruas restauradas exibem o ambiente criativo em restaurantes, bares, ateliês, lojas de artesanato, pousadas e em roteiros que aproveitam a riqueza arquitetônica, natural, histórica e cultural do bairro.


Foto: Estadão Conteúdo

* Em Paraty, o festival de literatura Flip projetou a cidade para o mundo. Porém, as bases desse sucesso estão no entendimento que a própria cidade teve, muito antes, do benefício que seria aliar natureza, tradições, cultura e o envolvimento da população em todas as atividades. Durante todo o ano, há eventos com esse espírito. A cidade soube investir na sua revitalização urbana e os pequenos empreendimentos floresceram.    


Foto: Estadão Conteúdo

Leia mais:

1 - Economia criativa: muito além da imaginação 

2 -O efeito dominó da criatividade 

3 – Geografia da criatividade 

5 - "Crescimento acima da média nacional" 

6 - "A produção brasileira dá audiência à TV paga" 

 



Evento de economia criativa reuniu empreendedores e investidores em Austin, no Texas. O resultado foi melhor do que a estimativa de US$ 7 milhões da Apex, que levou 57 brasileiros

comentários

Objetos de desejo, os azulejos estampados de Carine Canavessi abrem caminho para uma empreendedora disposta a criar mercado

comentários

Realizada há 25 anos, o crescimento da feira Gift Fair reflete o interesse dos brasileiros por design, decoração e objetos de luxo

comentários