São Paulo, 27 de Setembro de 2016

/ Gestão

Pequenos negócios ganham plataforma de gestão gratuita
Imprimir

Ferramentas para loja virtual, administração do ponto de venda, gestão financeira e organização administrativa estão incluídas em plataforma lançada

Quem passeia pelos Jardins, bairro nobre de São Paulo, já deve ter visto a Brasserie des Arts. O bar e restaurante - que busca estilo e sofisticação – é bonito, mas padecia sob um mal razoavelmente comum para as micro e pequenas empresas do país: a dificuldade de gestão das rotinas administrativas e financeiras.

Vivendo de perto a dificuldade de ser um pequeno empresário, seu proprietário, Carlos Azevedo, decidiu criar – a partir de sua experiência – uma plataforma que facilitasse a gestão de tantos números, controles e documentos. Essa é a gênese do MarketUp, empresa que oferece uma plataforma cheia de recursos de gestão – tudo a custo zero.

O cadastro pode ser feito em apenas um minuto e todos os serviços, sem exceção, estão disponíveis a qualquer empresário. O site funciona como um aplicativo para a internet em que basta um computador ligado na rede para que tudo funcione normalmente. Para quem não estiver conectado, os dados são sincronizados toda vez que a internet está reestabelecida, garantindo também o funcionamento off-line.

A ferramenta promete diversas facilidades como a gestão do ponto de venda, o controle e pagamento de tributos, gerenciamento de caixa, administração da produção, loja virtual, entre outros.  No site, uma informação mantém o dinheiro no bolso do empresário: “O MarketUp é gratuito e sempre será”.

Azevedo, que comanda a operação do MarketUp, garante que não há solução igual no mercado, não só pela gratuidade como pela diversidade de ferramentas disponíveis. “Nossa receita vem por publicidade”, afirma.

O Bradesco, por exemplo, é um desses patrocinadores. Até o final do ano, será anunciante exclusivo da categoria bancos dentro da plataforma. Para 2015, Azevedo ainda não sabe como ficará essa questão. Outros dois bancos já estão fazendo ofertas pelo espaço privilegiado diante dos 8 mil pequenos e médio empresários cadastrados no MarketUp – para o ano que vem, a meta é chegar a 100 mil usuários em dezembro.

Com poucos meses no ar, o MarketUp já foi eleito plataforma oficial do Sebrae em todo o país. “O Sebrae é o órgão que mais ajuda as pequenas e micro empresas no Brasil e é uma referência no mundo para esse tipo de ação”, diz.


Sócios do MarketUp, da esquerda para direita: Romero Rodrigues e Rodrigo Borges, do Buscapé, Carlos Azevedo, em pessoa, e Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook. Foto: Divulgação

PROMESSA DE SIGILO DE INFORMAÇÃO

No que depender da convicção de Azevedo na segurança da plataforma, os empresários não terão com o que se preocupar. Embora tenha entre os sócios Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook na América Latina, Azevedo afirma que as informações não serão compartilhadas ou vendidas pela rede social de Mark Zuckerberg. “É a pessoa física do Hohagen que investiu nesse negócio, não o Facebook. Esses dados não estarão disponíveis”, diz.

O sócio que  deverá tirar mais partido da nova plataforma é Hélio Rotenberg, presidente e sócio da Positivo Informática. A empresa é uma das cotadas para fornecimento de hardware para os usuários MarketUp, como leitores de código barra, por exemplo. Também fazem parte do quadro de executivos os fundadores da Buscapé Company, Romero Rodrigues e Rodrigo Borges.



A substituição de executivo-chefe que atingiu idade limite continua a ser um momento crítico para as grandes empresas. O Bradesco de Luis Carlos Trabuco (foto) é o mais recente caso de mudança no limite de idade para o cargo

comentários

Fundada em 2002, a Dextra, de Bill Coutinho (foto), fornecedora de softwares sob medida, adotou novos processos e abriu mão de hierarquias rígidas para se reinventar

comentários

Liderança qualificada, processos azeitados, execução profissional, time treinado e motivado, orçamento controlado. A competência brasileira mostrou a sua cara na Rio 2016

comentários