Gestão

O desafio de crescer em meio à crise


Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulga relatório social. Alencar Burti, presidente da entidade, lembra que conquistas da entidade não dependem de verba pública


  Por Redação DC 19 de Junho de 2017 às 18:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) divulgou relatório social baseado nos resultados de 2016. A crise econômica foi um dos desafios apontados no documento. Mesmo neste conturbado ano, a entidade lançou uma série de novos produtos e serviços para os associados.

Alencar Burti, presidente da ACSP, lembra que todo o trabalho feito pela associação não conta com um centavo do Estado. “A preservação da nossa atividade econômica e renda sempre se fez por meio de trabalho e dedicação”, diz Burti. 

Em 2016, a ACSP colocou em operação, em fase de testes, a Central de Registros de Direitos Creditórios (CRDC), da qual a entidade detém 70,98% de participação.

Caberá à CRDC cadastrar e endossar o trânsito de duplicatas digitais, decorrentes da emissão de nota fiscal eletrônica (NF-e), entre cedente, sacado e agente financeiro.

A iniciativa, segundo o relatório, concretiza uma expectativa de longa data para o mercado de crédito com duplicatas para pequenas empresas.

Outra novidade apresentada no ano passado foi o sistema MYRP, que oferece ao empresário uma ferramenta online de gestão fiscal e financeira e controle de vendas e de estoques. 

Também foi inaugurado em 2016 um posto avançado da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial (CBMAE) dentro da ACSP, especializada em solução de conflitos empresariais em âmbito privado.

Esses novos produtos e serviços ajudaram a elevar o desempenho comercial da entidade, que cresceu, em faturamento, 16% sobre o resultado de 2015, de acordo com as informações do relatório social. 

O destaque de 2016 foi o ACCelular, que cresceu 20,96% sobre a receita de 2015 e, no ano passado, abocanhou 62,8% de participação no desempenho da área comercial.

No campo político, a ACSP participou da formulação de políticas públicas, como a Lei de Zoneamento, da capital paulista, e no questionamento de entraves fiscais, caso da mudança no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Este é o terceiro relatório social publicado pela ACSP, produzido de acordo com a versão G4 das diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI).

VEJA ABAIXO O RELATÓRIO SOCIAL 2016