Glossário do empreendedor: O que é investimento de risco


Conheça a expressão utilizada por capitalistas que realizam aportes em negócios com alto potencial de crescimento


  Por Italo Rufino 07 de Abril de 2016 às 13:00

  | Repórter isrufino@dcomercio.com.br


O mercado de participações no Brasil já teve dias melhores . Devido à alta taxa de jurosinflação crescente, parte dos investidores preferem realizar aplicações financeiras ou realizar investimentos fora do país. 

No entanto, o mercado ainda é relevante. De acordo com a última edição da pesquisa da Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital (ABVCAP), realizado em conjunto com a consultoria KPMG, havia 36,8 bilhões de reais de capital disponível para investimento em economia real no Brasil em 2014. 

Neste universo, há a prática do investimento de risco. Saiba mais sobre a expressão. 

LEIA TAMBÉM: Quem quer um investimento milionário?

O QUE É

Investimento de risco é uma forma de captação de recursos para uma empresa em que um investidor aporta recursos em troca de participação acionária.

O investidor tem a expectativa de multiplicar seu capital devido ao crescimento da organização em médio e longo prazo. Ao mesmo tempo, o risco do investidor se torna o mesmo risco do negócio. Se a empresa falir, o investimento é perdido.  

Investimento de risco é totalmente diferente, por exemplo, de um empréstimo bancário, em que o dinheiro é trocado por uma garantia e o risco é amenizado por meio juros. 

Geralmente, as gestoras de capital de risco captam recursos de terceiros, como fundos de pensão, family offices e agências de fomento. 

ORIGEM 

O termo passou a ser usado no Brasil, ainda de forma incipiente, em meados da década de 1990, após a implementação do Plano Real.

A partir de 2005, a prática de investimento de risco ganhou força à medida que o Brasil dava sinais de crescimento constante.

Anos antes, em 2003, um relatório do banco Goldman Sachs apontou que o Brasil, ao lado de Rússia, Índia e China (os denominados BRIC), estaria entre as maiores economias do mundo. A expectativa era que o BRIC atingesse um PIB de 15,44 trilhões de dólares em 2050. 

Alinhado também com a baixa taxa de juros e inflação sob controle da época, o Brasil era um país promissor para o investimento de risco.  

SAIBA MAIS: Conheça histórias de empresas que crescem junto com o Criatec

QUANDO USAR 

De acordo com Gustavo Junqueira, diretor da gestora de recursos Inseed, o termo investimento de risco pode ser usado para denominar todos os investimentos que uma empresa recebe quando há troca de capital por participação acionária. 

São exemplos de investimento de risco Angel Money, que geralmente acontece em empresas que estão em fase de teste de conceito e prototipagem de produto e não geram receita; e Venture Capital, aporte em empresas que precisam aprimorar produtos, pessoas e governança corporativa para ganhar escala visando, no futuro, aquisições, expansão em novos mercados e internacionalização. 

Devido à possível confusão com venture capital (capital de risco em português), a ABVCAP utiliza o termo capital empreendedor para designar investimentos por troca de participação acionária.