São Paulo, 28 de Setembro de 2016

/ Gestão

Como fazer seu negócio dar certo em menos tempo
Imprimir

5 lições que Steve Jobs aprendeu com o mestre cubista Pablo Picasso

No século 19, o empresário norte-americano John Rockefeller levou 46 anos para ganhar seu primeiro bilhão de dólares.  No século 20, Bill Gates, dono da Microsoft, atingiu esta marca em 12 anos. E, no século 21, Andrew Mason, fundador da Groupon, chegou lá em apenas dois anos. De acordo com o empreendedor e jornalista Shane Snow, fundador da empresa de mídia Contently e autor do livro Smartcuts, o segredo daqueles que conseguem fazer seu negócio dar certo em menos tempo está no chamado “pensamento lateral”: não é possível eliminar o trabalho duro de criar uma empresa, mas dá para transpor ciclos desnecessários enfrentando os problemas do dia a dia de forma diferente.

Considerado pelas revistas Inc. e Forbes como um dos empreendedores mais inovadores com menos de 30 anos, Snow mostra em seu livro como desafiar a lógica tradicional e assim conseguir soluções que ajudam a pular passos nos negócios.  Sua primeira dica é, diante de uma determinada situação problema, listar todas as suposições possíveis e em seguida questioná-las: e se não forem corretas?  Outra recomendação é abusar da simples pergunta “por que?”. Questionar por que as coisas são feitas de determinada maneira é uma forma de romper com convenções e achar saídas inovadoras.

Entre os vários exemplos que Snow usa para reforçar seus argumentos, destaca-se o do pintor  espanhol Pablo Picasso. Steve Jobs mandava seus funcionários estudarem o mestre cubista. O autor de Smartcuts explica por que, em cinco lições que podem ser tiradas do artista.

Não necessariamente o crescimento e a criatividade vem com mais – dinheiro, tempo, recursos. O mais frequente é o contrário: tornamo-nos mais inovadores quanto mais restritas as condições.  “Por muito tempo, eu me limitava a usar uma única cor – como forma de me disciplinar”, dizia Picasso.  Não à toa, o presidente dos EUA, Barack Obama, só tem ternos em duas cores. Estabelecer restrições é uma forma de liberar a mente para as decisões que realmente importam.

Mais uma frase de Picasso: “Cada ato de criação é primeiro um ato de destruição”. Assim como o pintor transformou a arte do seu tempo com o traçado de poucas linhas, a Apple trouxe um novo paradigma para a tecnologia lançando produtos com o mínimo de botões e fáceis de usar. Confira abaixo o paralelo das inovações de Picasso com as de Steve Jobs:

Ficar preso a uma ideia brilhante não leva a nada. Enquanto muitos de seus colegas esperavam a glória de uma única obra, Picasso pintava versões variadas de seus quadros até encontrar o ideal. Certa vez ele declarou: “a ação é a chave fundamental para o sucesso”.

O artista francês Henri Matisse dizia que apenas Picasso teria o direito de criticá-lo. Os dois eram rivais e essa competição motivava-os a estudarem mais e trabalharem melhor. Ter um concorrente de alto nível, portanto, pode ser muito saudável.

Picasso não tinha medo de desafiar convenções e entrar em territórios desconhecidos. Ele dizia: “tudo que você imaginar é real”.   Para vencer o medo de inovar, Snow criou um macete: obrigue-se a concordar em fazer qualquer coisa em cinco segundos, por mais difícil que seja. 



A substituição de executivo-chefe que atingiu idade limite continua a ser um momento crítico para as grandes empresas. O Bradesco de Luis Carlos Trabuco (foto) é o mais recente caso de mudança no limite de idade para o cargo

comentários

Fundada em 2002, a Dextra, de Bill Coutinho (foto), fornecedora de softwares sob medida, adotou novos processos e abriu mão de hierarquias rígidas para se reinventar

comentários

Liderança qualificada, processos azeitados, execução profissional, time treinado e motivado, orçamento controlado. A competência brasileira mostrou a sua cara na Rio 2016

comentários