São Paulo, 28 de Setembro de 2016

/ Finanças

Santander anuncia que vai liberar R$ 500 milhões para PMEs
Imprimir

Acordo com o Banco Europeu de Investimento (BEI) possibilita ao banco, presidido por Jesús Zabala (foto), oferecer crédito para empresas brasileiras com até 3 mil funcionários

O banco Santander anunciou nesta sexta-feira, 5, que assinou com o Banco Europeu de Investimento (BEI) um acordo para disponibilizar uma linha de financiamento de cerca de R$ 500 milhões para pequenas e médias empresas, em condições diferenciadas. Os clientes terão acesso ao crédito com taxas de juros anuais no mínimo 0,25 ponto percentual inferiores às da linha tradicional.
 
Os recursos da nova linha serão oferecidos a clientes PMEs com até 3 mil funcionários, por prazos de até 48 meses. A taxa reduzida é garantida contratualmente, nos termos da parceria firmada com o BEI.

LEIA MAIS: Santander Brasil libera R$ 15 bilhões em crédito para PMEs

A expectativa é que a linha esteja disponível para contratação a partir da segunda quinzena de julho. Trata-se do primeiro acordo deste gênero fechado pelo banco de fomento europeu com uma instituição financeira privada no Brasil.
 
Recentemente, o Santander Brasil anunciou o lançamento da plataforma global Santander Negócios & Empresas, que oferece produtos, serviços e atendimento adequados ao perfil de cada empreendedor, considerando o porte e o setor de atuação. Além disso, traz uma série de benefícios não financeiros – como capacitação, participação em uma rede internacional de networking e ferramentas de incentivo à internacionalização.
 
“A parceria com o BEI é mais um passo para consolidar o Santander como o banco das pequenas e médias empresas brasileiras”, afirma Ede Viani, diretor responsável pelo Santander Negócios & Empresas.
 
 



Nascidos na era da internet, esses jovens não gostam de hierarquia, e esperam um ambiente corporativo semelhante ao seu mundo: veloz, interativo e integrado

comentários

Agora ele espera que o discurso se materialize na prática, de acordo com o presidente do Citi no Brasil, Hélio Magalhães

comentários

Entenda por que grandes empresas, como Riachuelo, Bradesco e Porto Seguro, estão cada vez mais interessadas em estampar seus nomes em centros culturais

comentários