São Paulo, 02 de Dezembro de 2016

/ Economia

Títulos protestados crescem 25,7%
Imprimir

A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (54,9%), seguida das regiões Sul (23,0%), Nordeste (10,5%), Centro-Oeste (7,5%) e Norte (4,0%)

Cresceu o número de empresas e consumidores que iniciaram o ano sem honrar suas dívidas. O total de títulos protestados em janeiro em todo o País cresceu 25,7% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Os empresários foram os que mais deixaram de pagar suas faturas. O volume de títulos protestados de pessoas jurídicas aumentou 26,8%, e o de pessoas físicas, 23,8% na mesma base de comparação.

Em relação a dezembro de 2014, o volume de protestos também aumentou (+16,6%). Nessa comparação, entretanto, o resultado foi inflado por causa das empresas (+37,5%). O total de títulos protestados de pessoas físicas cresceu 9,1%. Segundo a Boa Vista SCPC, o valor médio geral dos títulos protestados em janeiro foi de R$ 2,7 mil. A média entre as pessoas físicas ficou em R$ 1,9 mil. Entre as pessoas jurídicas, R$ 3,2 mil.

A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (54,9%), seguida das regiões Sul (23,0%), Nordeste (10,5%), Centro-Oeste (7,5%) e Norte (4,0%). Foi também no Sudeste que se observou o maior valor médio (R$ 3.690) dos títulos protestados de pessoas jurídicas em janeiro.



De janeiro a novembro, o índice acumulou alta de 11,7%. Em contrapartida, no confronto com novembro de 2015, os números recuaram 5,1%

comentários

Somente 13% dos entrevistados vão poupar ou investir o montante do salário adicional, de acordo com Boa Vista SCPC

comentários

Foram movimentados 49,009 milhões de cheques no mês passado, com 47,802 milhões compensados e 1,206 milhões devolvidos, de acordo com Boa Vista

comentários