Economia

Temer libera saques do PIS/Pasep e espera aumento do consumo


O presidente afirmou que a liberação de recursos do PIS/Pasep tem o mesmo princípio da liberação de dinheiro das contas inativas do FGTS, que é permitir ao cidadão "acesso a um dinheiro que lhe pertence"


  Por Agência Brasil 28 de Setembro de 2017 às 17:17

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


Em uma cerimônia feita de última hora para mostrar uma agenda positiva, o presidente Michel Temer anunciou pessoalmente a liberação de recursos do PIS/Pasep e a redução o teto da taxa de juros de empréstimos consignados para servidores e aposentados.

O presidente Michel Temer comemorou as projeções do aumento do consumo a partir do saque das contas do PIS/Pasep.

A medida já havia sido anunciada no final de agosto, mas o governo divulgou o calendário para saque do benefício.

O presidente também lembrou da medida que liberou o saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que ocorreu entre março e julho deste ano, para destacar as políticas de estímulo à economia do seu governo .

“Já temos um calendário para essa regra [do PIS/Pasep]. Se somarmos a essas medidas as contas inativas do fundo de garantia vamos chegar a quase R$ 60 bilhões injetados na economia neste período”, disse o presidente. Com a medida, homens a partir de 65 anos e mulheres a partir de 62 anos poderão fazer o saque. Antes, a idade mínima, tanto para homens quanto para mulheres, era de 70 anos.

O saque antecipado de recursos das contas do PIS/Pasep para os idosos começa no dia 19 de outubro.

A partir desta data, poderão sacar os cotistas com mais de 70 anos. A partir de 17 de novembro serão disponibilizados os recursos para os aposentados. Em 14 de dezembro será a vez das mulheres a partir de 62 anos e os homens a partir de 65 anos realizarem os saques.

“Todos nós do governo esperamos que os recursos que liberamos possam ajudá-los a tornar realidade alguns de seus projetos”, disse o presidente aos beneficiários durante discurso.

Crédito consignado

O presidente ainda anunciou a segunda queda da taxa de juros nos empréstimos consignados para servidores públicos federais, aposentados ou pensionistas. A primeira queda ocorreu em março. Os empréstimos consignados têm parcelas descontadas diretamente na folha de pagamento dos trabalhadores.

“A segunda notícia boa do dia é que foi possível reduzir o teto dos juros do crédito consignado. É a segunda redução este ano. O Brasil continua nos trilhos do desenvolvimento. A opção [do governo] é pela responsabilidade e pelo bem-estar do povo brasileiro”, disse o presidente.

Para servidores públicos, a taxa de juros vai cair de 2,20% para 2,05% ao mês. Para aposentados e pensionistas, a queda será de 2,14% para 2,05% ao mês. Segundo o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Dyogo Oliveira, essa redução representa uma redução de R$ 5 bilhões ao ano no pagamento de empréstimos consignados.

“Isso representa uma diminuição de dois pontos percentuais ao ano. E essa redução significa uma economia de pagamento de juros de R$ 5 bilhões ao ano. Isso é mais dinheiro que fica para o aposentado e para o servidor usar para suas necessidades”, disse o ministro.

FOTO: Agência Brasil