São Paulo, 26 de Março de 2017

/ Economia

Procura das empresas por crédito recuou em fevereiro
Imprimir

Segundo levantamento da Serasa Experian, a maior queda ocorreu entre as micro e pequenas empresas, 6,7%

A demanda de empresas por crédito recuou 6,4% em fevereiro em relação a janeiro, segundo a Serasa Experian. Na comparação interanual, a queda foi de 5,0%. 

O primeiro bimestre, contudo, registrou crescimento de 0,5% ante o mesmo período do ano passado.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a queda de fevereiro já era esperada por causa do feriado de Carnaval. O recuo em relação ao mesmo mês de 2016 também reflete os efeitos calendário, uma vez que o ano passado foi bissexto e houve um dia útil a mais em fevereiro.

A instituição ainda destaca que a alta no bimestre ocorreu apenas entre as micro e pequenas empresas. "Logo, ainda não é possível afirmar que uma reversão mais consistente da tendência de queda na procura das empresas por crédito, característica de todo o ano de 2016, já esteja acontecendo.”

De acordo com a pesquisa, o maior recuo na margem ocorreu entre as micro e pequenas empresas, de 6,7%. Nas companhias grandes e médias, a retração foi bem menor, de 0,7% e 0,8%, respectivamente. 

Já no acumulado do ano, a situação se inverte. As micro e pequenas empresas têm crescimento de 1,0%, enquanto as grandes e médias somam quedas de 8,7% e 8,6%, nesta ordem.

A Serasa também informou que todos os setores tiveram retração na demanda por crédito em fevereiro. O maior foi o do setor de serviços, de 9,0%, o recuo da indústria foi de 4,7% e, nas empresas comerciais, houve declínio de 4,1%.

Na divisão por regiões, a queda na procura por crédito também foi generalizada na margem. A mais intensa foi registrada no Sudeste, de 7,6%. Em seguida, aparecem o Nordeste (-5,7%), Centro-Oeste (-4,8%), Sul (-4,3%) e Norte (-3,4%).

IMAGEM: Thinkstock



Recuo de 7,2% é justificado pelo feriado de carnaval, de acordo com Serasa. Todas as faixas de renda pesquisadas apresentaram queda

comentários

Entre as principais queixas estão a prestação de informação de forma inadequada e débito em conta de depósito não autorizado

comentários

São quase R$ 9 bilhões em linhas de financiamentos direcionadas para micro e pequenas empresas

comentários