São Paulo, 04 de Dezembro de 2016

/ Economia

Investimento de mil empregos ressuscita Boituva
Imprimir

Como o município paulista passou a deter o maior índice de geração de empregos entre 16 cidades da região de Sorocaba

Às margens da rodovia Castelo Branco, na altura do quilômetro 110, a terraplanagem de um terreno de 200 mil metros quadrados é uma das pontas visíveis de um grande mistério industrial.

Ali vão ser construídos galpões, em que uma multinacional japonesa, que atua no segmento de máquinas industriais, irá se instalar até o primeiro semestre de 2016. Por questões estratégicas e de mercado, a identidade da empresa segue em sigilo a pedido de sua diretoria. O novo empreendimento deverá gerar mil novas vagas de trabalho, com a metade delas para engenheiros.

O cenário está localizado a 116 quilômetros da capital, em Boituva, no interior de São Paulo. A ideia da prefeitura é a de atrair empresas que, a partir de indústrias, tragam novos serviços ao município. Nos últimos dois anos, as autoridades locais têm investido em infraestrutura e qualificação.

Altura do quilômetro 116, da rodovia Castello Branco, região industrial de Boituva / Foto: AI/Prefeitura de Boituva 

Segundo o prefeito de Boituva, Edson Marcusso (PTB), os incentivos criados para as empresas que se instalarem no município envolvem isenção fiscal de até dez anos, de acordo com o capital social, além de serviços de terraplanagem e perfuração de poços subsidiados. “Queremos ser parceiros dos pequenos e grandes empresários e queremos fazer de Boituva uma cidade favorável ao empreendedorismo."

No último ano, a cidade de Boituva registrou uma elevação de 8,35% em geração de empregos, segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. O maior índice entre as 16 cidades da região.

 

A cidade de Boituva registrou uma elevação de 8,35% em geração de empregos

 

A geração de empregos no setor Industrial, em Boituva, representa 50% das novas vagas na cidade, com 500 novas admissões, somente em 2013. Mais de 50% em relação a 2010. Considerando os setores comercial, industrial e de serviços, o município contratou 1.053 novos profissionais, em 2013, ante 550, em 2010.

Outra meta que o prefeito define é a da desburocratização dos investimentos. Cita o plano de aprovar projetos em apenas dois dias.

A retomada da política para atrair novos investimentos trouxe em quase dois anos sete novas empresas de médio e grande porte para a cidade, que somente neste ano lançou 27 novos loteamentos.

Um deles é o Portal Castello Branco, administrado pela loteadora Guerini, com 153 lotes empresariais, 68 comerciais e 76 lotes de serviços, totalizando uma área de 562 mil metros quadrados.

“Boa parte de nossas grandes áreas comerciais e industriais disponíveis no mercado está localizada em Boituva, devido à alta demanda e ao sucesso de nossos loteamentos. A procura por nossas ofertas é constante e altamente satisfatória. A expectativa para os próximos anos é grande, tendo em vista novos possíveis contratos que podem gerar pelo menos mais de mil empregos à cidade”, disse Rodrigo Stucchi, assessor de marketing da Guerini Planejamentos.

Na última terça-feira, a rede de fast food McDonald´s inaugurou sua primeira unidade na cidade, dentro do Portal Castello Branco. A chegada da empresa ao município deve gerar aproximadamente 60 empregos diretos. Mas há na chegada dela algo bem mais simbólico, quebrando a imagem de estagnação e trazendo a ideia de dinamismo.

Segundo Edinelson Miguel, diretor regional do McDonald´s para o interior de São Paulo, a decisão pela cidade partiu de um conjunto de estudos de mercado no último ano. “Observamos que o número de empresas e condomínios instalados na cidade, somado ao potencial de fluxo da rodovia Castello Branco, oferece excelentes atrativos e um ambiente favorável à implantação de novos empreendimentos, e isso foi determinante para a escolha”, disse.

Com quase 55 mil habitantes, Boituva é o destino de muitos paulistanos nos finais de semana. O centro de paraquedismo e balonismo gera um impacto direto na economia do município, com 15 mil saltos por mês. Assim como toda a estrutura de serviços da cidade, as opções de hospedagem para os adeptos do esporte estão se ampliando. No próximo ano, a rede Accor irá inaugurar um hotel Ibis com dez andares, próximo ao Mc Donald´s, no portal Castello Branco. De acordo com a prefeitura, um outro hotel, com 250 apartamentos, também já está em fase de construção no mesmo loteamento.

Além de oferecer lazer e negócios, Boituva também garante mesa farta com produtos locais. Há 18 anos, o frigorífico Cowpig, ali instalado, em uma propriedade de 250 hectares, abate cerca de 12 mil animais por ano (bovinos, suínos, búfalos e ovinos).

Em 2008, a marca construiu uma loja-conceito, com um investimento de R$ 300 mil, para atender ao público local. “Abrimos uma loja para servir aqueles que conheciam o nosso trabalho e não podiam consumi-lo diretamente. Assim, também reforçamos nossa marca na região, e nos tornamos visíveis para os turistas”, diz Renato Sebastiani, diretor administrativo do Cowpig.

 

Interior da boutique de carnes / Foto: Divulgação

Hoje, o frigorífico fornece cortes especiais para um nicho de mercado altamente exigente, formado por consumidores da classe A e para 80% dos empórios de alto luxo de São Paulo. Aproximadamente 5% do que é produzido na planta de Boituva é destinado para a boutique de carnes da cidade. Para Sebastiani, Boituva deixou de ser uma cidade com limitações de produtos, e o consumidor tem buscado qualidade e variedade.

“A projeção para 2015 é de um aumento percentual de 15 a 20% nas vendas. Também pretendemos ampliar a atividade da loja com um conceito moderno e inovador”, disse.

Para a presidente da Aceb (Associação Comercial Empresarial de Boituva), Claudia Fiusa Cancian, a situação atual do comércio é próspera. A inauguração de uma loja da Casas Bahia, no Centro da cidade, em setembro, a vinda do McDonald´s e a abertura de duas salas de cinema, no próximo dia 20, são alaguns exemplos citados.

"A presença de grandes empresas como a cervejaria Crystal e a montadora Toyota (em Porto Feliz) fez o comércio da região crescer em quase 10% em diferentes segmentos. O consumo varejista também está aquecido e tem maior movimento aos sábados, quando o comércio de rua trabalha em um horário diferenciado, até às 19h”, disse.

 

 



O volume aportado no Programa de Aceleração do Crescimento entre janeiro e outubro caiu para R$ 28,9 bilhões. Em contrapartida, o governo espera gerar investimentos de R$ 15 bilhões com concessões

comentários

Houve recuo aos principais setores da economia. Em outubro, comércio apresentou redução de 0,7% na comparação com setembro

comentários

Baixa procura também levou desembolsos do BNDES a uma queda de 35% de janeiro a outubro

comentários