São Paulo, 28 de Setembro de 2016

/ Economia

Inflação em São Paulo começa a desacelerar
Imprimir

No acumulado do ano, segundo a Fipe, o índice apresenta aumento de 5,36%, ante avanço de 3,02% em igual período de 2014

O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), André Chagas, projetou para junho uma inflação de 0,45% na cidade de São Paulo. Se confirmado, o avanço será menor do que o registrado em maio, alta de 0,62%.

Segundo Chagas, o IPC será mais baixo em junho ante maio por causa de desacelerações que estão sendo esperadas para os grupos Habitação, Alimentação, Transportes e Saúde. Em contrapartida, o grupo Despesas Pessoais deverá, conforme o coordenador, mostrar aceleração, remando na direção contrária.

No acumulado do ano, o índice apresenta aumento de 5,36%, ante avanço de 3,02% em igual período de 2014. Nos 12 meses encerrados em maio, houve inflação de 7,60%.

Na leitura de maio, quatro grupos tiveram aceleração. Alimentação subiu para 0,88%, de 0,83% em abril; Transporte avançou para 0,30%, de 0,23%; Despesas Pessoais saltou a 0,27%, de 0,05%; e Educação acelerou para 0,09%, de 0,08%.

Por outro lado, houve desaceleração nos subíndices de Habitação (2,30% para 0,74%); Saúde (1,48% para 1,08%); e Vestuário (0,82% para 0,30%).

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC em maio: Habitação (0,74%), Alimentação 0,88%, Transportes (0,30%); Despesas Pessoais (0,27%); Saúde (1,08%); Vestuário (0,30%), Educação (0,09%) Índice Geral (0,62%)

FOTO: Itaci Batista/EC

 



No estudo coordenado pelo Fórum Econômico Mundial, país fica em 81º lugar, atrás dos Brics e do G-20. Crise política e econômica causou a perda de competitividade

comentários

Projeção de economista do Ipea é que Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas do país) pare de cair no fim de 2016

comentários

Foram 51,8% das negociações coletivas, segundo pesquisa da Fipe. Resultado é reflexo da situação econômica atual

comentários