São Paulo, 28 de Maio de 2017

/ Economia

Inflação em São Paulo começa a desacelerar
Imprimir

No acumulado do ano, segundo a Fipe, o índice apresenta aumento de 5,36%, ante avanço de 3,02% em igual período de 2014

O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), André Chagas, projetou para junho uma inflação de 0,45% na cidade de São Paulo. Se confirmado, o avanço será menor do que o registrado em maio, alta de 0,62%.

Segundo Chagas, o IPC será mais baixo em junho ante maio por causa de desacelerações que estão sendo esperadas para os grupos Habitação, Alimentação, Transportes e Saúde. Em contrapartida, o grupo Despesas Pessoais deverá, conforme o coordenador, mostrar aceleração, remando na direção contrária.

No acumulado do ano, o índice apresenta aumento de 5,36%, ante avanço de 3,02% em igual período de 2014. Nos 12 meses encerrados em maio, houve inflação de 7,60%.

Na leitura de maio, quatro grupos tiveram aceleração. Alimentação subiu para 0,88%, de 0,83% em abril; Transporte avançou para 0,30%, de 0,23%; Despesas Pessoais saltou a 0,27%, de 0,05%; e Educação acelerou para 0,09%, de 0,08%.

Por outro lado, houve desaceleração nos subíndices de Habitação (2,30% para 0,74%); Saúde (1,48% para 1,08%); e Vestuário (0,82% para 0,30%).

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC em maio: Habitação (0,74%), Alimentação 0,88%, Transportes (0,30%); Despesas Pessoais (0,27%); Saúde (1,08%); Vestuário (0,30%), Educação (0,09%) Índice Geral (0,62%)

FOTO: Itaci Batista/EC

 



A agropecuária foi o destaque positivo da atividade econômica, com alta de 10,8%, segundo levantamento da Serasa

comentários

Embora com média pouco acima da América Latina, o país continua atrás de quatro dos 11 países do Continente, de acordo com levantamento da FGV

comentários

Parte do mercado acredita que ele não tem fôlego para evitar novas concessões na reforma da Previdência, com efeitos muito ruins no futuro da economia

comentários