São Paulo, 27 de Junho de 2017

/ Economia

Inflação, ainda altíssima, desacelera em abril
Imprimir

O IPCA dos primeiros quatro meses do ano foi de 4,56%, o que já ultrapassa a meta da inflação fixada pelo governo

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,71% em abril, ante 1,32% em março, divulgou nesta sexta-feira (8/5) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, a inflação acumula altas de 4,56% no ano e de 8,17% em 12 meses.

Em outras palavras, em apenas quatro meses a inflação ultrapassou a meta (4,5%) fixada nos últimos anos pelo próprio governo, com dois pontos a mais (6,5%) ou a menos (2,5%) ao ano.

O IPCA é considerado a inflação oficial do país por ser o índice usado para as metas de inflação do governo.

De acordo com a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, a desaceleração da inflação em abril não é uma trégua propriamente dita ao bolso dos consumidores. "De jeito nenhum é uma inflação baixa", disse.

Segundo a coordenadora, os preços do combustível e da energia estão em patamares elevados - mesmo com elevações menores em abril -, o que dissemina altas nos preços de outros setores. Eulina diz que produtores de tomate, por exemplo, têm atribuído as altas no produto ao aumento do custo da energia.

No IPCA de abril, o tomate ficou 17,90% mais caro. Foi a maior alta do grupo Alimentos.

O preço da energia elétrica desacelerou consideravelmente. A inflação desse item, que havia disparado 22,08% em março, avançou 1,31% agora em abril. O arrefecimento do preço da energia foi o principal responsável pela desaceleração do IPCA no mês passado.

A elevação menor da energia também contribuiu para que o grupo Habitação desacelerasse de 5,29%, em março, para 0,93%em abril.

SERVIÇOS

Na contramão do IPCA a inflação de serviços acelerou a 0,72% em abril. Em março o indicador havia subido 0,58%. Em 12 meses, a inflação de serviços ficou em 8,32%, acima do IPCA.

"Os serviços são itens que vêm pressionando desde muito tempo a inflação. Mas particularmente este ano o IPCA de serviços está abaixo dos preços monitorados", comentou Eulina. 



Embora o Banco Central tenha mantido a projeção de crescimento de 0,5% para a economia brasileira em 2017, economistas do mercado financeiro seguem demonstrando maior pessimismo

comentários

Ministro da Fazenda (foto) disse que eventual redução da meta, que hoje é de 4,5%, não compromete a retomada econômica

comentários

Com a alta de 0,16%, o IPCA-15 acumula aumento de 1,62% no ano e de 3,52% em 12 meses, de acordo com o IBGE

comentários