Economia

Fitch: medidas do Governo Federal devem reduzir receitas do BNDES


Segundo a agência de classificação de risco, mercado do BNDES deve recuar gradualmente, durante o período de transição para a implementação da nova Taxa de Longo Prazo, sancionada hoje pelo presidente Temer


  Por Estadão Conteúdo 22 de Setembro de 2017 às 13:30

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A Fitch, agência de classificação de risco, afirmou nesta sexta-feira (22/09), que as recentes medidas realizadas pelo governo do Brasil devem reduzir as receitas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O comentário da agência é feito no mesmo dia em que o presidente Michel Temer sancionou, sem vetos, a lei que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP), que substituirá a partir de 1º de janeiro a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) nos financiamentos concedidos pela instituição.

Na argumentação do governo, a TLP possibilitará a redução de subsídios implícitos do Tesouro a empréstimos do banco de fomento. Segundo a Fitch, as medidas devem minar mais a capacidade do BNDES de conceder empréstimos em 2018.

"Contudo, conforme a economia se recupera, o BNDES pode encontrar maneiras alternativas para continuar a exercer seu papel de desenvolvimento no Brasil", afirma a Fitch.

A Fitch avalia que a fatia de mercado do BNDES deve recuar gradualmente, durante o período de transição de cinco anos para a implementação da TLP.

Segundo ela, embora controversa, a TLP pode apoiar as receitas do banco no longo prazo, porém a rentabilidade do BNDES poderia ser pressionada por empréstimos menores por causa das mudanças estruturais no perfil de financiamento do banco.

IMAGEM: Thinkstock