São Paulo, 29 de Abril de 2017

/ Economia

Famílias devem comprar menos em fevereiro
Imprimir

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) recuou 1,6% em relação a janeiro

Os consumidores brasileiros ficaram menos inclinados às compras em fevereiro, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) recuou 1,6% em relação a janeiro, para 117,8 pontos, o menor nível da série histórica iniciada em janeiro de 2010.

Na comparação com fevereiro de 2014, a intenção de consumo está 9,3% menor. Embora o índice permaneça acima da zona de indiferença (de 100,0 pontos), o que indica um nível ainda favorável ao consumo, houve pressão da inflação elevada sobre o orçamento das famílias, destacou a CNC.

A inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 1,24% em janeiro, maior resultado mensal desde fevereiro de 2003. Os consumidores gastaram mais com habitação, alimentos e transportes.

Na pesquisa da CNC, o item Momento para Duráveis até registrou melhora em fevereiro ante janeiro, com elevação de 2,7%. Mas houve recuo de 22,3% na comparação com fevereiro de 2014, a maior queda anual da série histórica. De acordo com a CNC, o indicador é prejudicado pela taxa de juros ao consumidor, que está em patamar bastante elevado.



Lojistas devem captar essas mudanças e se adaptar a elas para conquistar novos mercados nos próximos cinco anos

comentários

Daqui para frente, a intenção de redução do gastos afeta compras no supermercado, roupas e lazer, de acordo com a CNDL e SPC Brasil

comentários

Lojas de departamentos, como a Riachuelo (foto), e comércio eletrônico conquistam a preferência dos brasileiros, que passaram a dar maior importância aos preços, aponta pesquisa

comentários