São Paulo, 25 de Julho de 2017

/ Economia

Balança comercial tem saldo positivo de US$ 6,9 bi em abril
Imprimir

Resultado entre exportações e importações é o melhor para o mês desde o início da série histórica, em 1989

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 6,969 bilhões em abril, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). 

O saldo positivo é resultado de exportações de US$ 17,686 bilhões e importações de US$ 10,717 bilhões no mês. Esse foi o melhor resultado para o mês na série histórica, iniciada em 1989. 

O superávit comercial de abril ficou dentro do intervalo de projeções (de US$ 4,8 bilhões a US$ 7,65 bilhões) e ligeiramente abaixo da mediana das previsões (US$ 7,0 bilhões).

No mesmo mês do ano passado, recorde anterior, o superávit no comércio exterior havia sido de US$ 4,862 bilhões.

Na quarta semana de abril (dias 24 a 30), houve superávit de US$ 1,788 bilhão, decorrentes de US$ 4,616 bilhões em embarques e US$ 2,827 bilhões em compras do exterior.

Pela média diária de exportações, houve crescimento de 27,8% nas exportações em abril na comparação com o mesmo mês em 2016, principalmente pelo desempenho dos bens básicos (alta de 29,2%). 

As vendas de produtos semimanufaturados subiram 27,5% e as de manufaturados aumentaram em 25,7%.

Já as importações subiram 13,3% ante abril do ano passado, com alta nos gastos com combustíveis e lubrificantes (28,5%), bens intermediários (16,5%) e bens de consumo (6,3%). As compras de bens de capital recuaram 5,9%.

No acumulado do ano até abril, a balança comercial registra superávit de US$ 21,387 bilhões, resultado de exportações de US$ 68,149 bilhões e importações de US$ 46,726 bilhões.

O saldo no primeiro quadrimestre também é o melhor para o período na série histórica. Entre janeiro e abril de 2016, o saldo acumulado foi de US$ 13,250 bilhões.

PREÇOS DE EXPORTAÇÕES

O superávit comercial recorde de US$ 21,387 bilhões na balança comercial brasileira entre janeiro e abril deste ano ocorreu mesmo com a redução de 0,3% na quantidade de produtos exportados em relação ao mesmo período do ano passado. 

Isso aconteceu porque os preços dos bens vendidos pelo País aumentaram 22,1% na mesma comparação.

Já do lado das importações, houve um aumento de 6,8% na quantidade de produtos comprados do exterior, mas uma alta de apenas 2,6% nos preços dessas mercadorias.

Com isso, o valor total das exportações cresceu 21,8% no primeiro quadrimestre do ano - totalizando US$ 68,149 bilhões - enquanto o valor total das importações subiu apenas 9,5% no período - para US$ 46,762 bilhões.

Entre os principais itens da pauta de exportações brasileira, o minério de ferro teve uma alta de preço de 127% ante os quatro primeiros meses do ano passado, com um incremento de apenas 0,7% na quantidade exportada. 

O petróleo em bruto teve um aumento de preço de 75% na mesma comparação, com mais 38,6% de expansão na quantidade vendida.

Semimanufaturados de ferro e aço (+54,6%), açúcar em bruto (+46,1%), carne de frango (+19,3%), café em grão (+18,9%) e soja em grão (+10,8) também tiveram aumentos expressivos nos preços no primeiro terço de 2017.

IMAGEM: Thinkstock



Reunião realizada na ACSP debateu a necessidade de ampliar a atividade do porto de Santos nos períodos noturnos, quando o trânsito de veículos nas rodovias é menor

comentários

A expectativa da Abit é que o mercado colombiano seja uma porta de entrada dos vestuários brasileiros para os Estados Unidos

comentários

Após a divulgação da Operação Carne Fraca, em março deste ano, diversos mercados impuseram restrições à carne brasileira

comentários