São Paulo, 25 de Julho de 2017

/ Brasil

Temer diz que não negocia idade mínima para aposentadoria
Imprimir

O presidente avaliou como pontos positivos do seu governo a queda da inflação e dos juros, mas disse que o desemprego preocupa

O presidente Michel Temer disse que o governo aceita negociar pontos da reforma da Previdência, menos a fixação da idade mínima da aposentadoria em 65 anos.

"Evidentemente, o caso da idade fica difícil você negociar. A idade é fundamental para esta reforma", afirmou Temer. 

Em entrevista à Reuters, o peemedebista também previu a aprovação da reforma previdenciária neste ano e defendeu a discussão da reforma trabalhista, igualmente já apresentada pelo governo.

O presidente voltou a negar que tenha planos de disputar a reeleição em 2018. "Eu espero apenas cumprir essa tarefa e deixar que meu sucessor possa encontrar um país mais tranquilo", disse. 

Também classificou como "zero" as chances de a operação Lava Jato desestabilizar seu governo.

Temer destacou a queda da inflação e dos juros como uma vitória da política econômica e citou medidas que visam a acelerar a recuperação da atividade econômica, como a liberação de recursos de contas inativas do FGTS e a redução dos juros do cartão de crédito. 

Porém, considerou que a retomada do mercado de trabalho levará mais tempo, dada a ociosidade das empresas.

"É muito provável que ainda neste semestre a capacidade ociosa das empresas seja utilizada por elas, mas nós pensamos que, a partir do segundo semestre ou de meados do segundo semestre, o desemprego já comece a diminuir e o crescimento venha de uma vez."

IMAGEM: Agência Brasil



A entidade quer evitar situações como a ocorrida ao final de junho, quando a rua Boa Vista, no centro de São Paulo, ficou bloqueada por mais de dois dias por manifestantes (foto)

comentários

Independente da decisão da CCJ, é o posicionamento dos deputados em plenário que decidirá pelo recebimento, ou não, da denúncia elaborada pela Procuradoria-Geral da República

comentários

O deputado Sergio Zveiter, relator do caso, considerou os indícios apresentados contra Temer suficientes para que a denúncia seja recebida e analisada por seus pares

comentários