São Paulo, 22 de Janeiro de 2017

/ Brasil

Taxa de desemprego sobe 12,4% na região metropolitana de SP
Imprimir

No mês passado, o total de desempregados foi estimado em 1,367 milhão de pessoas, 121 mil a mais do que em março

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) subiu para 12,4% em abril ante 11,4% em março, revela Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira, 27, pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A taxa também ficou acima da verificada em abril 2014, de 11,6%.

No mês passado, o total de desempregados foi estimado em 1,367 milhão de pessoas, 121 mil a mais do que em março.

Esse resultado decorreu do crescimento de 0,9% da População Economicamente Ativa (PEA), após 96 mil pessoas passarem a fazer parte da força de trabalho na região, e da "ligeira redução", de 0,3%, do nível de ocupação, estimado em 9,659 milhões de pessoas depois da eliminação de 25 mil postos de trabalho.

LEIA MAIS: Emprego formal perde em abril 97,8 mil postos de trabalho

Sob a ótica setorial, a leve queda do nível de ocupação decorreu de reduções nos setores de Indústria de Transformação (-3,2%, equivalente a eliminação de 52 mil postos de trabalho) e, em menor medida, em Serviços (-0,4%, ou 24 mil vagas eliminadas) e da "relativa estabilidade" nos setores de Comércio e Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas (-0,2%, ou 4 mil postos fechados); quedas não compensadas pelo aumento de 7,1% na Construção, após a criação de 46 mil postos de trabalho no setor.



Donald Trump assumiu a Presidência dos Estados Unidos nesta sexta-feira, 20, mas suas promessas de campanha, incluída a ameaça de protecionismo, balizaram boa parte do debate final

comentários

Para o presidente, primeiro passo é superar recessão; depois, haverá 'pleno emprego'. Para isso, será preciso aprovar as reformas, inclusive a tributária

comentários

Entre as empresas privadas, a perda de arrecadação corresponde a um terço do que deveria ser pago, alerta a ONU. Regularização fiscal poderia elevar em 4% o PIB da América Latina

comentários