São Paulo, 26 de Junho de 2017

/ Brasil

Ministro interino da Cultura pede demissão
Imprimir

João Batista de Andrade alegou não ter interesse em ser efetivado na pasta. Ele estava no cargo desde maio, quando o então titular da Cultura, o deputado Roberto Freire, se desligou do governo

O ministro interino da Cultura, João Batista de Andrade, pediu demissão do cargo. Em carta enviada ao presidente Michel Temer, Andrade afirma não ter interesse em ser efetivado no comando da pasta.

“Comunico, respeitosamente, meu desinteresse em ser efetivado como ministro da Cultura”, diz trecho da carta divulgada nas redes sociais do Ministério da Cultura. 

“Assim sendo, confirmo minha disposição para contribuir da forma mais proativa possível com a transição de gestão no Ministério da Cultura, até a nomeação dos próximos ministros da Cultura e seu secretário executivo”, acrescenta o texto.

LEIA MAIS: FHC propõe eleições gerais para apagar o incêndio institucional

Então secretário executivo da Cultura, Andrade assumiu interinamente o cargo de ministro em maio, após o deputado Roberto Freire (PPS-PE) anunciar a saída da pasta. 

À época, Freire atribuiu a decisão ao fato de Michel Temer não ter renunciado à Presidência, como foi sugerido pelo PPS, após vir a público o conteúdo da delação premiada do empresário Joesley Batista, dono da JBS.

De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer recebeu a carta, mas não deve tomar nenhuma decisão antes de retornar da viagem que fará na próxima semana à Rússia e à Noruega.

IMAGEM: Agência Brasil

 



Para o economista Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central, o governo pode ter de elevar impostos para conter o rombo nas contas públicas

comentários

O banco de fomento diz que a redução nos empréstimos reflete a situação da economia. As consultas por recursos também caíram 22% no período

comentários

Enquanto STF decidia se senador mineiro seria preso, presidente é acusado de corrupção em investigação pedida por Janot, e comissão do Senado derrota a reforma Trabalhista

comentários