São Paulo, 26 de Março de 2017

/ Brasil

Manifestações contra Temer pedem nova eleição
Imprimir

Em Brasília, o presidente é recebido com aplausos e vaias. Manifestações em todo o país deixam de falar em golpe e adotam o slogan “Fora Temer, eleições já”

Na primeira apresentação pública após ser efetivado na Presidência da República, Michel Temer foi alvo de vaias e aplausos no desfile do Dia da Independência, em Brasília. Como já havia ocorrido em outra ocasião, ele dispensou o uso de faixa presidencial. 

Palanque presidencial no desfile de 7 de Setembro

 

Em todo o país, estavam previstas manifestações em 24 cidades contra o governo Temer e em defesa de novas eleições.

Houve grande comparecimento público para acompanhar o desfile. Parte dos protestos veio de uma arquivada localizada próximo à das autoridades. As equipes de segurança receberam ordem de não retirar do local as pessoas que se manifestavam.

Posicionados do lado oposto aos desfiles desde o início da manhã, cerca de mil manifestantes saíram em passeata. Um grupo estendeu quatro faixas com os dizeres: “Fora Temer, eleições já”, deixando-as visível para quem descia o Eixo Monumental em direção ao Congresso Nacional. 

Mais tarde, outros movimentos também estenderam suas faixas de protesto. Ao todo, mais de 90 entidades se posicionaram contra o governo Temer. Entre as organizações presentes, estão a CUT, Contag e MST. 

Militantes do PT estenderam uma faixa verde e amarela de 150 metros já usada no 7 de Setembro do ano passado. O “Não vai ter golpe” de 2015 virou “Fora Temer”, escrito em vermelho. Por volta das 11h, a Polícia Militar estimava haver 600 pessoas em frente ao Museu da República. Para os organizadores, o ato reunia 5 mil manifestantes. 

O protesto, convocado pelas redes sociais, recebeu mais de 4 mil confirmações e 4,6 mil manifestaram interesse no ato pelo Facebook, em Brasília. Ações semelhantes ocorreram em outras cidades do país. 

A manifestação “Fora Temer”, une-se, este ano, ao Grito dos Excluídos, protesto tradicional de 7 de Setembro, que reúne movimentos sociais em busca de visibilidade e melhores condições de vida. “Neste ano, o nosso lema é Fora Temer, nenhum direito a menos. Vamos deixar claro que não sairemos das ruas”, diz Wilma dos Reis, uma das organizadoras do ato. 


DEMOCRACIA

Os ministro Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil da Presidência da República, e Geddel Vieira Lima, da Secretaria da Presidência da República, minimizaram os protestos registrados na Esplanada dos Ministérios.

Perguntado se havia sido surpreendido pelas manifestações, Padilha afirmou: “Vocês já ouviram falar em uma democracia em que não haja liberdade de manifestação?”

Imagem: Agência Brasil

 

 



Para o presidente, primeiro passo é superar recessão; depois, haverá 'pleno emprego'. Para isso, será preciso aprovar as reformas, inclusive a tributária

comentários

Destituído pelo STF da presidência do Senado, o senador alagoano tenta se manter no cargo até julgamento de recurso e acena com o perigo de não se votar a PEC do limite dos gastos públicos

comentários

Vestidos de verde e amarelo, milhares de manifestantes vão às ruas. Protestos se voltam contra o presidente do Senado e a manobra dos deputados para desfigurar proposta contra corrupção

comentários