São Paulo, 26 de Setembro de 2016

/ Brasil

Joaquim Levy recebe alta após internação por embolia leve
Imprimir

O ministro da Fazenda mantém programação de viagem aos Estados Unidos acompanhando a presidente Dilma Roussef

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, teve alta após ser internado na noite de ontem, 26, em Brasília. Levy teve uma embolia pulmonar leve e passou por exames no Hospital do Coração em Brasília. Segundo apuração, Levy passa bem e deve acompanhar a presidente Dilma Rousseff em visita aos Estados Unidos.

O ministro da Fazenda deixou o hospital por volta de 1h20 deste sábado. Um carro do Ministério da Fazenda foi buscá-lo e, ao sair, o ministro abriu a janela para falar com jornalistas à porta do hospital. Ele disse que estava bem. O ministro procurou transmitir tranquilidade e saiu sorrindo. A assessoria do ministério informou que ele viaja para os Estados Unidos ainda neste sábado e, no domingo, estará em Nova York, onde integrará a comitiva da presidente Dilma Rousseff. No entanto, irá de voo comercial e não mais no avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo a assessoria, após exames no hospital, nenhum problema cardíaco foi detectado. Nos últimos dois dias, assessores disseram que ele estava bem mais nervoso que o normal, atitude que chamou atenção de pessoas próximas. Levy tem tido uma sobrecarga de trabalho e não sai antes das 2h da manhã do ministério.

A agenda do ministro nos Estados Unidos prevê acompanhar a presidente em uma reunião com empresários, em Nova York. Seminários e encontros com executivos do mercado financeiro estão previstos para segunda-feira (29/06), bem como uma audiência com o ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger. Ao fim do dia, ele deve viajar a Washington, para um jantar oferecido por Obama.

LEIA MAIS: A difícil batalha contra a inflação de 9% em 2015

Segundo notícias veiculadas pela imprensa nacional, Levy teria insistido para que a equipe médica autorizasse a viagem, mas a hipótese foi descartada, pois poderia agravar o quadro. O pneumologista Arthur Viana viajou do Rio de Janeiro a Brasília para acompanhar o caso. 

Pela manhã, Levy já dava sinais de desconforto físico e faltou a um evento do Itamaraty entre altos executivos brasileiros e chineses. 

Segundo o Correio Braziliense, a rotina do ministro chama atenção pelos excessos. Além da pesada carga horária - Levy chega por volta das 8h ao ministério e, algumas vezes, sai depois das 2h da madrugada. Recentemente, as negociações com o Congresso para aprovação do ajuste fiscal tem comprometido até os finais de semana do chefe da Fazenda.