São Paulo, 03 de Dezembro de 2016

/ Brasil

Filho do governador Geraldo Alckmin é sepultado em Pindamonhangaba
Imprimir

Autoridades assistiram ao velório e funerais de Thomaz Rodrigues Alckmin, morto quinta feira (2) em acidente de helicóptero. Alencar Burti, presidente da Facesp e da ACSP, expressou condolências às famílias do governador e das outras vítimas

Após ser velado no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, o corpo do filho mais novo do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodrigues Alckmin, de 31 anos, foi levado nesta sexta-feira, 3, para a cidade de Pindamonhangaba, no interior do Estado, onde foi enterrado no começo da noite. Thomaz morreu na queda de um helicóptero, na tarde de quinta-feira, 2, na Grande São Paulo.

O sepultamento, programado para as 17 horas, atrasou porque a família esperou pela chegada da filha mais velha de Thomaz, Isabella, de 10 anos, que vive na Noruega com a mãe.

VELÓRIO

Durante esta sexta-feira, diversas autoridades e amigos da família compareceram ao velório para prestar condolências. A presidente Dilma Rousseff foi acompanhada dos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva.

Dilma veio a São Paulo de Brasília em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e desembarcou na Base Aérea de Congonhas, zona sul da capital. A comitiva chegou ao hospital de carro, por uma conexão direta com o Palácio dos Bandeirantes.

O senador José Serra (PSDB-SP) chegou ao hospital onde o corpo era velado pouco antes do meio-dia. Ele acompanhou algumas das orações e saiu 20 minutos depois. O secretário municipal de Direitos Humanos, Eduardo Suplicy, também esteve presente na cerimônia e lamentou a perda. "Todos nós, paulistas e brasileiros, estamos sentindo essa perda", afirmou. "Eu, que tenho três filhos, fiquei pensando como seria perder um dos meus filhos queridos", acrescentou o ex-senador.

Também compareceram ao velório o vice-presidente, Michel Temer, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o vice-governador de São Paulo, Márcio França, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o ex-deputado federal Walter Feldman, os secretários estaduais de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, da Casa Militar, José Roberto Oliveira, e da Saúde, David Uip, o deputado estadual Carlos Alberto Bezerra Jr (PSDB), o empresário João Dória, o ex-governador Cláudio Lembo, o deputado federal Celso Russomanno (PRB), entre outros.

"Estamos muito chocados. A perda de um filho é uma dor irreparável. Que Deus conforte a todos", disse o empresário Alencar Burti, presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo) e da ACSP (Associação Comercial de São Paulo), ao expressar profundos e sinceros sentimentos e pêsames ao governador Geraldo Alckmin, à primeira dama Lu Alckmin e às famílias das outras vítimas desta tragédia.

Foi o governador Geraldo Alckmin quem fez o reconhecimento do corpo de Thomaz. O Instituto Médico Legal (IML) liberou o corpo para os familiares por volta da 1h15 desta madrugada. O governador ainda foi para o hospital e recebeu o caixão de Thomaz. A primeira-dama do Estado, Lu Alckmin chegou depois.



Outras três pessoas também morreram. O avião caiu sobre uma residência na zona Norte de São Paulo, deixando um morador ferido

comentários

Informações compiladas pelo governo do Estado de São Paulo, apresentadas para empresários na ACSP, mostram que há muito ainda o que melhorar para fazer o país avançar

comentários

O governador de São Paulo falou para empresários em evento na Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Ele disse que a indefinição em torno do processo contra a presidente Dilma é uma trava para a economia

comentários