São Paulo, 29 de Maio de 2017

/ Brasil

Entidades empresariais lançam movimento em defesa do país
Imprimir

A Frente Brasil Melhor (FBM) anuncia que vai batalhar pela aprovação das reformas previdenciária e trabalhista, entre outras causas

Presidentes de mais de 20 entidades empresariais da indústria, comércio e serviços fundaram nesta semana uma nova entidade.

É a Frente Brasil Melhor (FBM), um movimento criado para "tornar público seu posicionamento sobre questões decisivas para o futuro e a estabilidade da nação", como a aprovação das reformas previdenciária e trabalhista -sem as quais o país não terá como trilhar o caminho do desenvolvimento sustentado, com geração de emprego e renda.

Ficou definido que a Frente terá caráter permanente, com reuniões periódicas em São Paulo e outras localidades, especialmente Brasília (DF), palco das decisões que definem o futuro do país.

"A FBM é a voz e a união de forças de entidades e sindicatos, com a intenção de buscar e defender as melhores soluções para o Brasil neste conturbado ano de 2017", disse Antonio Carlos Pela, vice-presidente e coordenador do Conselho de Política Urbana da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que representou a entidade na reunião realizada no Secovi, na terça-feira (14/03). "Entre essas soluções está a implantação das reformas".

Para Alencar Burti, presidente da Facesp e da ACSP, é fundamental que os empresários entendam que "não é hora de ser singular, é hora de ser plural".

"O país atravessa um momento de extrema dificuldade, em que interesses políticos estão prevalecendo sobre os interesses nacionais", disse Burti. "É um movimento que une as entidades que cuidam do desenvolvimento econômico e que devem se pronunciar".

Entre as associações e federações fundadoras da Frente Brasil Melhor estão o Secovi-SP, Fiesp, Fecomercio, SindusCon-SP, Instituto de Engenhearia, Abrasce e Alshop.

No início de abril, integrantes da mobilização reúnem-se em Brasília, ocasião em que pretendem dialogar com parlamentares sobre a votação das duas reformas.

Esta é apenas a primeira de uma série de ações, cujo objetivo é especificamente apoiar o Brasil e os brasileiros.

Com esse propósito, de acordo com os dirigentes empresariais, a expectativa é a de que outras entidades, dos mais diferentes universos, passem a integrar o movimento, cuja pauta incluirá outros temas de inegável interesse da sociedade.

FOTO: Calão Tafner Jorge/Divulgação

 



É o que revela o Índice Nacional de Confiança (INC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), na análise do período entre janeiro e maio. Desemprego ainda é principal fator

comentários

Economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) analisam a gestão do governo federal no Boletim de Conjuntura

comentários

As vendas à vista, principalmente de vestuário, sustentaram as comercializações ao longo da primeira quinzena de maio

comentários